Por Ivanaldo Mendonça — O mês de setembro, dedicado especialmente á Palavra de Deus, propõe-nos rezar, refletir, partilhar e celebrar, aprofundando o real e verdadeiro valor das Sagradas Escritura na vida de cada um de nós e de todos nós. O mês da Bíblia inspira-nos a colocar a Palavra de Deus no centro de nossas vidas, permitindo, pela força da fé, que Ela ilumine nossas mentes, aqueça nossos corações e guie nossos passos no caminho do Senhor.

Muito embora os 73 livros que compõem a Bíblia Sagrada tenham sido redigidos em tempos diferentes entre si e diferentes do nosso tempo, as verdades que transmitem são atemporais, ou seja, ultrapassam tempo, lugar e espaço, justamente porque não é palavra humana e, muito embora os homens tenham prestado especial colaboração como redatores, essa Palavra não lhes pertence. Seu autor é o próprio Deus; Ele fala em cada tempo e em todos os tempos.

As Sagradas Escrituras não têm por finalidade ser mais um livro como os outros e, muito embora possua conteúdos ricos e diversos, seu intento é ser, única e exclusivamente, livro de fé. Simplesmente ler a Bíblia é muito pouco para, de fato, mergulhar no real sentido e significo daquilo que a Palavra de Deus transmite.

Criticado porque seus seguidores não obedeciam, rigorosamente, preceitos e leis determinados de seu tempo. Jesus responde de maneira incisiva: “Vós abandonais o mandamento de Deus para seguir a tradição dos homens” (Mateus 7,1-8.14-15.21-23), expressando: “(…) o que torna o homem impuro não é o que entra vindo de fora, mas o que sai de seu interior”. E descreve: “Imoralidades, roubos, assassínios, adúlteros, ambições desmedidas, maldades, fraudes, devassidão, inveja, calúnia, orgulho, falta de juízo”.

Cresce, em nossos tempos, o fenômeno da terceirização de responsabilidades. Tudo o que nos acontece, sobretudo as coisas não boas, é responsabilidade de outros, nunca nossa. Evidencia-se, mais uma vez, a dificuldade do homem em acolher, saborear e obedecer a Palavra de Deus. Se o que nos estraga vem de dentro, é também, por dentro, que devemos iniciar o processo de transformação.

Desejosos de viver a vontade de Deus, deixemo-nos iluminar por Sua Palavra. Ao perscrutar as profundezes do nosso ser, Ele revela a belezas que somo e temos, desperta á consciência sobre nossos limites, faz com que enxerguemos aquilo que precisa ser eliminado. Assim, pela força da fé e do amor, a Palavra de Deus revela seu poder curativo e transformador.

Ivanaldo Mendonça

Padre, Pós-graduado em Psicologia

[email protected]

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA