Considerando o resultado positivo da primeira fase do projeto educacional do Conselho Britânico, aplicada no ano passado com escolas da rede municipal de ensino, a Estância Turística de Olímpia foi selecionada para dar continuidade ao programa “Core Skills: educação para vida”.

O projeto-piloto foi desenvolvido pela instituição em seis países da América Latina e Caribe, sendo que Olímpia foi a cidade pioneira do Brasil a ser contemplada, e apenas o município e escolas do Peru foram escolhidas para prosseguir com a capacitação. A primeira fase contemplou mais de 70 profissionais das escolas Reinaldo Zanin e Luiza Seno de Oliveira.

“Os relatórios gerais possibilitam um olhar comparativo com as demais cinco experiências, saltando os olhos os ótimos resultados alcançados no caso de Olímpia: o alto grau de satisfação dos/as participantes com os cursos oferecidos, a boa percepção de aprendizagens efetivas/úteis para o dia a dia da escola e o aumento expressivo da confiança para articular as competências essenciais às práticas de ensino após o curso”, relatou Luis Felipe Serrao, gerente de Educação Básica do Conselho.

Dessa forma, a equipe do Conselho está, nesta semana, em Olímpia para avaliar a experiência do projeto. Para isso, será realizada uma análise comparativa entre a EMEB Professor Reinaldo Zanin, que recebeu o programa, e a EMEB Professor Maurício Cesar Alves Pereira, onde a capacitação não foi aplicada. Segundo o Conselho Britânico, as duas escolas foram escolhidas por apresentarem perfis semelhantes de ensino, estrutura e alunos. Também serão realizadas entrevistas com professores para construir uma avaliação de impacto.

A participação de Olímpia no projeto foi um pedido do prefeito Fernando Cunha que se interessou pela proposta apresentada pela secretária de Educação, Maristela Meniti. O conhecimento sobre o programa se deu por meio do Arranjo de Desenvolvimento da Educação do Noroeste Paulista (ADE). Na ocasião, seis municípios se inscreveram e Olímpia foi o sorteado para ser pioneiro no país.

Durante a capacitação, foram discutidas com os professores, coordenadores e supervisores, competências essenciais para o desenvolvimento dos alunos, transformando-os em indivíduos prontos para enfrentar os desafios do mundo de hoje, globalmente interconectado. Para isso, as monitoras trabalharam dois módulos, sendo eles “Pensamento Crítico e Resolução de Problemas” e “Comunicação e Colaboração”.

“É uma satisfação e também uma responsabilidade muito grande sermos os pioneiros no país, mas o observamos que o projeto deu resultados porque os professores conseguiram levar para a sala de aula muito daquilo que eles aprenderam no curso. Agora, vamos entrar na fase de análise do Conselho para prosseguir com as atividades”, destacou a secretária de Educação.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA