Agência Estado / Diário da Região – No indicador (IFDM) divulgado nesta quinta-feira, 28, medido pela Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), Olímpia aparece como o segundo município com o melhor desenvolvimento do Brasil, incluindo as três vertentes pesquisadas (Emprego e Renda, Educação e Saúde), ano-base 2016, último ano da seguinte da gestão do então prefeito Geninho Zuliani (DEM).

São Paulo têm outros quatro municípios no ranking dos dez maiores IFDMs. Louveira, líder do ranking nacional, Estrela do Norte (3ª), Itatiba (9ª posição) e Itupeva, a 10ª. Rio Preto, que já ocupou a mesma posição de Olímpia, agora aparece em 14º.

O pior índice em São Paulo ficou com a Florida Paulista, de 14 mil habitantes. No País inteiro, o município com pior IFDM geral foi Ipixuna (AM).

Mas no âmbito geral, o estudo da Firjan revela um quadro preocupante. Depois de oito altas consecutivas desde 2006, o índice de desenvolvimento dos municípios entrou numa trajetória declinante por causa da crise econômica.

O indicador (IFDM) geral recuou três anos e está abaixo do nível observado em 2013 O desempenho negativo foi puxado pela vertente emprego e renda, que anulou os ganhos verificados nos dois outros itens analisados: educação e saúde.

Com o fechamento de quase 3 milhões de postos de trabalho entre 2015 e 2016, o IFDM Emprego e Renda está no menor patamar desde o início da série histórica, em 2006.

A previsão dos pesquisadores da Firjan é que o País só consiga retomar o nível de 2013 em 2027. “Vale destacar que nossa projeção é feita sob uma base otimista de 2009 e 2012 (quando a geração de emprego estava aquecida), afirma o coordenador de Estudos Econômicos da Firjan, Jonathas Goulart Costa.

De 2006 para 2013, com a economia aquecida e alta geração de emprego, 103 municípios foram alçados à faixa de desenvolvimento alto ou moderado. Com a crise, a trajetória mudou e 936 municípios deixaram essas duas faixas do índice e engrossaram o time de cidades com baixo ou desenvolvimento regular – 85% dos municípios estão nesses grupos.

Segundo Costa, 820 municípios brasileiros tiveram IFDM Emprego e Renda moderado e apenas 5, alto. São eles: São Bento do Norte (RN), Capanema, Telêmaco Borba (PR), Selvíria (MS) e Cristalina (GO). Para elaboração do índice, foram avaliados 5.471 municípios de um total de 5.570 em todo País. O indicador abrange cidades que abrigam 99,5% da população.

Potência turística

Referência turística devido às suas águas termais, Olímpia tinha em 2009 sete hotéis, quatro pousadas, 42 casas de veraneio e um hotel fazenda, com um total de 687 leitos.

Hoje, a rede hoteleira local abriga mais de 14 mil leitos, um crescimento de 2.000%. Há mais 6 mil quartos em construção e outros 6 mil aprovados para iniciar as obras até 2020.

Em número de leitos, Olímpia já supera Campinas, cidade com 1 milhão de habitantes e que abriga o segundo aeroporto internacional de São Paulo. Lá, há 5.743 leitos de hotéis e até 2019 o número deve chegar a 7.872.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA