O governo de São Paulo determinou nesta terça-feira (22) medidas de endurecimento da quarentena com o aumento nas restrições de funcionamento de bens e serviços em todo Estado. Com G1

O prefeito Fernando Cunha, de Olímpia, deverá se pronunciar, provavelmente, no final da tarde, segundo informa a sua assessoria. Segmentos do turismo estão preocupados e alguns pedem que a municipalidade ‘aja com rigor, inclusive na Justiça, contrariando a decisão do governador’.

De acordo com o anúncio, apenas serviços essenciais como transporte, saúde, padarias, mercados e farmácias poderão funcionar nos dias 25, 26 e 27 de dezembro e 1, 2 e 3 de janeiro.

A mudança só não será temporária para Presidente Prudente. Por conta do avanço nos casos e da falta de leitos de UTI, a região passa a ficar, até a próxima reclassificação, na fase vermelha, a mais restritiva, do plano de flexibilização econômica.

A secretária de desenvolvimento econômico, Patrícia Ellen, também anunciou que em janeiro nenhuma região vai para fase verde e que a reclassificação do estado que estava marcada para o próximo dia 4 foi adiada para o dia 7 de janeiro.

Nas últimas quatro semanas, São Paulo registrou aumento de 34% no número de mortes provocadas pelo coronavírus, segundo dados do governo estadual.

No mesmo período, o número de casos cresceu 54% e as internações por Covid-19 subiram 13% em todo o estado.

Atualmente, todas as regiões de São Paulo se encontram na fase amarela do chamado Plano São Paulo, que permite a abertura de bares, restaurantes e comércio, embora com restrições de horário.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here