O crescente número de empresas certificadoras, as metas de descarbonização e a contribuição do RenovaBio para o futuro da economia do Brasil foram alguns dos temas abordados nesta semana em Nova York, nos EUA, durante o Santander ISO DATAGRO NY Sugar and Ethanol Conference, evento que integra a grade da Sugar Week norte-americana.

O evento tem como objetivo debater as tendências futuras do mercado sucroenergético no Brasil e no mundo e reúne os principais players mundiais do setor.

A missão brasileira é formada por representantes da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA), principal entidade do setor sucroenergético no Brasil, e a Datagro, referência global em consultorias no setor, além de parlamentares como os deputados federais Geninho Zuliani (DEM/SP) e Arnaldo Jardim (PPS).

“Para a região Centro-Sul do Brasil, a estimativa da Datagro apontou um processamento de 590 milhões de toneladas de cana em 2019/20, elevação de 3% sobre os números da safra anterior, o que é uma ótima notícia para o setor”, afirma o deputado federal Geninho Zuliani.

Segundo o presidente da UNICA, Evandro Gussi, a temporada brasileira deve seguir mais alcooleira. A produção estimada é de 31,47 bilhões de litros, elevação de 1,7% sobre os 30,95 bilhões de litros da safra 2018/19. A produção de açúcar pode passar dos 26,50 milhões de toneladas no ciclo anterior para 28 milhões em 2019/20.

No cenário mundial, segundo projeções da International Sugar Organization (ISO), grandes players asiáticos devem reduzir a produção da commodity em 2019/20. De acordo com o presidente da instituição, José Orive, a produção indiana deverá sofrer uma redução de 3 milhões de toneladas na safra 2019/20 e, na Tailândia, haverá um corte de 2 milhões de toneladas na produção.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here