Os alunos da rede municipal de ensino de Olímpia receberão em breve a nova remessa dos kits especiais de alimentação escolar. Para este lote, a Secretaria de Educação incluirá outros produtos de hortifruti e, para isso, está finalizando os últimos trâmites legais necessários.

Isso porque, segundo a Prefeitura, a primeira remessa foi adquirida com recursos próprios, por dispensa de licitação, por se tratar de uma medida emergencial e contemplou os alunos em maior situação de vulnerabilidade, seguindo, inclusive, recomendações do Governo Federal.

No entanto, como se trata de um momento de instabilidade econômica, o município disse que “esteve aberto a receber solicitações dos pais e preparar a nova remessa com base no novo levantamento. Além disso, no decorrer do processo, o Governo também autorizou o uso do recurso do PNAE (Programa Nacional de Alimentação Escolar), que auxilia no custeio da merenda escolar, o que exigiu um planejamento mais detalhado para a licitação”.

Com as mudanças, as cestas serão compostas pelos itens fornecidos anteriormente como arroz, feijão, macarrão, leite em pó, achocolatado, pão de forma, ovos, e ainda serão incluídos biscoito de maisena, extrato de tomate, legumes e frutas. Outra novidade, segundo a Prefeitura, são os produtos de hortifruti como banana, laranja, mamão, batata doce, mandioca, entre outros, que serão adquiridos diretamente da Agricultura Familiar, como prevê a legislação do PNAE, e distribuídos por porções a cada 15 dias, por serem perecíveis, e não mensalmente como os demais itens.

 A Prefeitura ressalta que a montagem dos kits “é elaborada por nutricionistas para garantir o auxílio nutricional e a segurança alimentar dos alunos e que todo o processo tem sido acompanhado e aprovado pelo CAE – Conselho de Alimentação Escolar, que conta com representantes de pais de alunos e de entidades civis e da área educacional. Assim que os kits chegarem, as escolas entrarão em contato com as famílias beneficiadas para agendar a retirada dos produtos”.

A entrega atenderá a nova demanda, que contempla os já beneficiados na primeira remessa e os que fizeram cadastro posteriormente, sendo que as escolas municipais continuam abertas às solicitações de pais que venham a se encontrar em dificuldade e que ainda não se cadastraram para receber o auxílio alimentar.

A Prefeitura reforça que, desde o início da suspensão das aulas presenciais, em 23 de março, devido à pandemia de Covid-19, “tem estudado a adaptação do fornecimento da nutrição, bem como das atividades para aprendizado dos alunos, procurando trabalhar de forma a oferecer atendimento seguro e dentro da legislação vigente, prezando sempre pela qualidade de vida da população”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here