A menos de duas semanas do fim da Campanha de Vacinação contra a gripe de 2020, mais de 11,9 milhões de pessoas já se vacinaram contra a influenza, no Estado de São Paulo. Porém, sete a cada dez mães e menores de seis anos ainda precisam se imunizar – esses grupos que ainda têm cobertura vacinal de apenas 30%, em média.

Em Olímpia, a situação se repete. Segundo dados da Secretaria de Saúde, foram vacinadas 1.386 (39,74%) crianças de seis meses a menores de seis anos, 133 (27,71%) gestantes e 35 (44,30%) puérperas. Em relação aos adultos com idade entre 55 e 59 anos, o balanço demonstra que 661 (25,02%) foram imunizados.

Por isso, a Secretaria de Estado da Saúde faz um alerta especial para as famílias, para que estes grupos compareçam aos postos.

Em Olímpia, iniciada em 23 de março, a Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe atingiu 77,31% da meta de imunização em Olímpia, o que representa 11.780 pessoas dos grupos prioritários protegidas.

De acordo com um balanço realizado pela Vigilância Epidemiológica, o destaque maior foi para os idosos e trabalhadores da Saúde, que alcançaram 100% de imunização, vacinando 8.061 e 1.504 pessoas desses grupos, respectivamente.

Além dos grupos considerados oficiais da Campanha, o Ministério da Saúde também incluiu a imunização de outros públicos, vacinando 3.796 moradores com doenças crônicas e comorbidades, 225 professores, 129 trabalhadores das forças de segurança e salvamento e 123 caminhoneiros, totalizando mais 16 mil imunizados no município.

A secretaria de Saúde ressalta que a campanha se encerra no dia 05 de junho e, neste período, quem faz parte do público-alvo das etapas anteriores e ainda não se imunizou também pode procurar a Escola Estadual Dr. Antônio Augusto Reis Neves ou as Unidades de Saúde dos distritos. Apenas as crianças estão sendo vacinadas nas Unidades Básicas de Saúde do município. O atendimento é de segunda a sexta (exceto feriados), das 8h às 16h.

“Imunizar é essencial. Essa é a principal forma de evitar a Influenza e aumentar a imunidade dos moradores que apresentam predisposição a outras doenças. Orientamos quem pertence aos grupos de risco e ainda não se vacinou a procurar os pontos de vacinação e se prevenir”, ressaltou o secretário de Saúde, Marcos Pagliuco.

CORONAVÍRUS

A vacina contra a gripe não imuniza contra o novo coronavírus, mas a campanha é fundamental para reduzir o número de pessoas com sintomas

respiratórios nos próximos meses. “Além de proteger a população contra a Influenza, precisamos minimizar o impacto sobre os serviços de saúde em meio a pandemia de COVID-19, já que os sintomas destas doenças são semelhantes”, diz o Secretario de Estado DA Saúde, José Henrique Germann.

A orientação aos profissionais que trabalham na campanha é para que haja organização da fila e do ambiente. Além disso, é importanter realizar uma triagem com identificação de sintomático respiratório – presença de febre, tosse, coriza e falta de ar. Se a pessoa apresentar febre ou mau estado geral, deve ser colocada máscara no paciente e adiada a vacina, com recomendação para seguir o isolamento domiciliar.

As equipes devem anotar as doses aplicadas, com mesas e distanciamento de pelo menos 1 metro entre o anotador e paciente. Cada profissional tem a recomendação de usar caneta própria e álcool deverá ficar disponível para uso. O vacinador não precisa utilizar luvas nem máscara cirúrgica, apenas seguir as normas de higienização.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here