O padrasto de uma menina de 12 anos a estuprou em uma fazenda na região de Ribeiro dos Santos e Altair. As amigas pedem ajuda para conseguir roupas para o bebê, fraldas e produtos de higiene pessoal. Com Olímpia 24H

A menina foi estuprada pelo padrasto e teve seu bebê no banheiro da casa da fazenda. Atualmente está internada na Santa Casa de Olímpia. Embora o bebê tenha nascido em uma situação tão trágica, ele estava saudável e passando bem.

O suspeito trata-se de M. S. C., 29 anos, seringueiro, natural de Morro do Chapéu, Bahia (BA). Consta que ele era amasiado com a mãe da menina que tinha essa filha de outro relacionamento.

Neste domingo (31) a menina R* (nome fictício para proteger a vítima de apenas 12 anos de idade) de repente começou a passar mal quando a família estava no sítio.

O padrasto, “muito preocupado” com a menina passando muito mal foi em um sítio ao lado pedir ajuda ao vizinho de inicial V., para que ele levasse a menina de carro ao Pronto Atendimento em Altair. O padrasto teria alegado que “não sabia o que a menina tinha”.

O vizinho de sítio, V., sempre muito bom com todos e solícito, sem saber a realidade dos fatos, imediatamente pegou o carro dele e foi com o padrasto da menina até o sítio onde ela estava. Só que ao chegarem no sítio a menina já estava em trabalho de parto no banheiro, inclusive o vizinho V. chegou a ajudar a fazer o parto.

Enquanto isso, com o socorro já acionado, V., o padrasto e a mãe da criança pegam a nova mamãe e o bebê e vão de encontro a equipe do SAMU que já estava a caminho…

Consta que na ambulância e ao dar entrada na UPA24horas de Olímpia a criança já em atendimento clínico contou sobre o estupro por parte do padrasto.

A criança contou em detalhes que era obrigada a manter relações sexuais com o padrasto mediante uso de força física desde fevereiro de 2021, ou seja, há quase um ano e meio.

Imediatamente uma equipe da Polícia Militar foi acionada para ir até a UPA onde estavam a criança, a mãe dela e o padrasto.

Com a chegada da PM na UPA de Olímpia e a confirmação da criança o padrasto recebeu voz de prisão e foi levado ao plantão policial da delegacia de polícia em Barretos.

Questionada pelos policiais militares se havia notado algo de errado a mãe disse que não tinha desconfiado de nada e nem percebeu mudanças no comportamento da criança e nem do amásio. Por fim ela disse que ficou perplexa com o nascimento do bebê.

Consta que a mãe tem mais dois filhos mas que moram com o ex-marido em Minas Gerais, ou seja, somente esta criança de 12 anos morava com a mãe e o padrasto aqui na região.

O pai biológico da menina que ganhou o nenê, ao saber do ocorrido veio de Minas Gerais para Olímpia e consta que está dando todo apoio à filha, à ex-mulher e à ex-sogra, avó da menina, que acompanham a menina na Santa Casa de Olímpia.

DA UPA PARA A SANTA CASA DE OLÍMPIA

A menina, após receber atendimento clínico na UPA foi transferida para a Santa Casa de Olímpia onde está internada e sob cuidados médicos devido a pouca idade.

O bebê, um menino de 2.800 kg, 46 centímetros, apesar da infeliz circunstância, nasceu perfeito e passa bem. Consta que o nome dele será Erick.

SUSPEITO É APENAS OUVIDO E SAI PELA MESMA PORTA QUE ENTROU

Enquanto a menina, vítima do próprio padrasto era transferida da UPA para a Santa Casa de Olímpia, no plantão policial em Barretos consta que o suspeito M.S.C., 29 anos, foi apenas ouvido e liberado pela autoridade policial.

Ou seja, o suspeito saiu pela mesma porta que entrou no plantão policial, a porta da frente.

Doações

  • 17) 99658-0973 WhatsApp (Carina)
  • Rua Antonio Buzato, 57, Distrito de Ribeiro dos Santos