Por Ivanaldo Mendonça – A celebração pascal ocupa no coração e vida da Igreja, sobretudo, através do calendário litúrgico, espaço especial.

A partir da noite de Páscoa, os cinqüenta dias seguintes compõem o tempo pascal que vigora até a solenidade de pentecostes, celebração da vinda do Espírito Santo.

Ao longo deste período, sobretudo, através da leitura, oração, meditação e partilha da Palavra de Deus e da Eucaristia, cada cristão e toda a comunidade dos fiéis é chamada a renovar-se nas convicções fundamentais da fé.

O ciclo Pascal composto de preparação (quaresma), do dia (Páscoa) e do prolongamento (tempo pascal) favorece a que, revisitando o caminho percorrido por Jesus, participando do mistério de Sua paxão-morte-ressurreição, com Ele vençamos o poder da morte, renascendo para a vida nova que se manifesta no hoje de nossa história e, um dia, plenamente, na eternidade.

O sentido profundo da Páscoa ocupa espaço central na caminhada da Igreja, conferindo sentido á sua missão primeira: testemunhar, a exemplo de Seu Senhor, o amor infinito de Deus a toda a humanidade.

Avançando nesta compreensão somos iluminados pela passagem do Evangelho de João (Jo 20,19-31) que, de forma objetiva e clara, evidencia os principais sinais da presença do Ressuscitado na vida de cada discípulo e de todos os discípulos.

O Ressuscitado não é outra pessoa, mas sim, aquele que fora crucificado; por isso mostra-lhes as mãos atravessadas pelos pregos e o lado rasgado pela lança. Não é possível dissociar a ressurreição da paixão e morte, nem a de Cristo, nem a nossa.

O primeiro dom do Ressuscitado é o acalento dos corações, antes tomados pelo medo, com Sua paz. Preenche os corações com a graça da alegria, a certeza de que o Senhor está sempre conosco.

O Ressuscitado desafia-nos, também, á como Tomé, ultrapassarmos a relação com Deus baseada em simples crença, dependente da racionalidade, força e recursos, abrindo-nos á atitude de fé, entrega total aos desígnios do Senhor. Assim, Ele fortalece e envia os discípulos de todos os tempos a serem Suas testemunhas valendo-se do amor e misericórdia.

O dom Pascal está a disposição daqueles que, permanentemente, abertos á renovação, permitem-se ser transformados pelo Ressuscitado e, ousadamente, apresentam-se para compor as fileiras de Seu exército, comprometidos com a transformação do mundo na realidade desejada por Deus.

Confortados por Sua paz, plenos de alegria, maduros na fé e sustentados por Sua força vencemos a morte diária, com tantos nomes e cores, vencemos a morte física, que é meio e não fim, desaguamos no oceano do amor de Deus. Páscoa é compromisso de fé! Abençoada Páscoa, todos os dias!I

Ivanaldo Mendonça

Padre, Pós-graduado em Psicologia

[email protected]

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here