Considerada uma das obras mais pedidas pelos moradores da Estância Turística de Olímpia, a remoção dos paralelepípedos começou a se tornar realidade. A Prefeitura, por meio da secretaria de Obras, Engenharia e Infraestrutura, deu início, nesta quarta-feira (8), à retirada dos blocos da Rua Gastão Vidigal, no fim da Rua Síria, próximo ao Cemitério Municipal.

A obra faz parte dos projetos de melhoria na infraestrutura das ruas e avenidas do município, com recuperação asfáltica e pavimentação. No local, a equipe está retirando os paralelepípedos e fazendo o tratamento estrutural para a via receber a camada de asfalto, guias e sarjetas.

Após este trecho, as obras serão iniciadas no bairro São José e também em ruas do Centro, que são de paralelepípedo e serão pavimentadas por não terem possibilidade de recuperação. As melhorias contemplarão as Ruas Benjamin Constant e Floriano Peixoto, no Centro, e Dr. Otávio Lopes Ferraz e Albano de Almeida Camargo, na São José.

A remoção dos paralelepípedos é um pedido antigo dos moradores e dos motoristas, que sofrem com as irregularidades das ruas. A questão, que é um compromisso da gestão, vinha sendo tratada pelo prefeito desde o início com o objetivo de oferecer mais qualidade e infraestrutura adequada.

Para as obras será investido mais de R$ 1 milhão, por meio da operação de crédito junto à Caixa Econômica Federal (FINISA), que foi aprovada pela Câmara de Vereadores. A empresa responsável pela obra é a HP Engenharia Ltda.

Levando em consideração ainda o valor histórico dos paralelepípedo, todos os blocos retirados das ruas serão levados para a Estação Ferroviária, onde está sendo construído o Centro Cultural e Turístico. Eles serão restaurados e assentados no espaço, como era antigamente nas linhas dos trens para preservação do patrimônio cultural.

“Esta é mais obra importante que estamos conseguindo concretizar na gestão com planejamento. O caso dos paralelepípedos é uma questão delicada porque precisamos mexer em toda a estrutura da via, com a construção de galerias pluviais, sarjetas e guias para, só então, pavimentar. Além disso, tínhamos o valor histórico, por isso, fizemos um estudo sobre a restauração e o destino das peças, enquanto levantamos investimentos e planejamos a execução, que exige mais tempo, para tentar causar o mínimo de transtorno possível aos motoristas e moradores. Começamos pela Gastão Vidigal, que tem grande fluxo de trânsito, e depois passaremos para os demais locais”, explicou o prefeito Fernando Cunha.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here