Jovens de Olímpia, ligados a diversos projetos sociais, lançam o Projeto Bom Coração – Solidariedade é um Prato Cheio, voltado para o atendimento às famílias carentes e vulneráveis que estão passando por uma situação crítica de necessidade básica, falta de alimentos para a alimentação e produtos de higiene pessoal, ainda mais em meio à uma pandemia do novo Coronavírus, uma quarentena que nos protege da rápida disseminação do vírus, mas que traz consequências terríveis para os mais pobres. A coordenação é do pastor Marcos Minari, da Igreja Ministério Resgate, mas o envolvimento é de toda a comunidade.

Assim, a proposta é a de arrecadar alimentos, montar cestas básicas e distribuir para famílias necessitadas. Os integrantes acreditam que em meio à crise, sempre é oportunidade para a transformação. Além do alimento físico, levar também o alimento mais importante para a alma, segundo explicou Letícia Freitas, do movimento, em entrevista nesta quinta-feira (2) no programa Diário ao Vivo, com o âncora Leonardo Concon (veja o vídeo abaixo, já está no ponto).

Letícia explica que “a nossa missão é a de transformar e abençoar a vida de milhares de pessoas através de diversas ferramentas, tais como impacto social, ampliar a consciência coletiva, doações seguras, engajando colaboradores e captando recursos”, e que é possível passar para a comunidade mais vulnerável “a confiança em solicitar doações anônimas e, assim, abençoarmos essas famílias com apoio de toda a população”.

A CAMPANHA

Por isso, a campanha “Solidariedade é um Prato Cheio” está nas mídias sociais e demais canais de comunicação da Estância Turística de Olímpia. Foi criado, também, um site do projeto, onde há dois canais: Preciso de Doação e Quero ser um Doador.

A logística está dividida em setores, como revela Letícia Freitas: “Captação de doações: Captam as doações através de várias ações, inclusive de maneira humanizada nos supermercados. E participam da satisfação de todas as entregas, a parte mais gratificante do nosso lindo trabalho; depois vem a triagem, onde são analisadas as necessidades de cada pessoa ou família; no banco de doações, na sede da Igreja Ministério Resgate, há um local próprio, desinfectado, para a montagem e embalagem dos produtos; e, finalmente, tudo isso gerenciado por uma diretoria, composta por voluntários, “que criam, desenvolvem e planejam ações e campanhas com o objetivo de alcançar e atender o maior número de pessoas possíveis”.

POR QUE DOAR?

“Não há dinheiro no mundo que pague a satisfação de fazer o bem para alguém, concorda? Claro que há. Porque é com seu dinheiro e a sua doação que melhoramos a vida das pessoas. O pouco que pedimos é para fazer muito”, assinala Letícia, em nome de todos os voluntários da campanha.

“A sua doação mantém vivo o nosso coração. Todos nós conhecemos os problemas sociais bem de perto. A miséria, a violência e a fome tomam espaço a cada dia. Se não estão dentro na nossa casa, estão na porta do vizinho. Não podemos ser indiferentes, deixar pra lá diante dessa situação. Estamos todos juntos nessa, de um jeito ou de outro. Você está satisfeito com o mundo? Sabia que quase 800 milhões de pessoas do planeta, são pobres? E a pobreza sempre vem acompanhada pela fome, doenças e mortes. Nós não estamos satisfeitos com o mundo, estamos nada contentes com o que acontece aqui no Brasil. Por isso nossa missão é melhorar nossa sociedade e a vida dessas pessoas. Mas não fazemos nada sozinhas, contamos com a sua doação e solidariedade para conseguir melhora-lo. Você está disposto a ajudar? Transforme vidas através da sua doação”, acrescenta.

O QUE DOAR, E COMO

A campanha “Solidariedade é um Prato Cheio” aceita doação de alimentos não perecíveis, cesta básica, produtos de higiene pessoal e até dinheiro.

Os alimentos ideais para doação devem ser aqueles que podem ficar à temperatura ambiente sem estragar ou exigir cuidados para armazenamento, tais como os que vem embalados de fábrica, dentro do prazo de validade (muito importante), tais como arroz, feijão, farinha de trigo, legumes enlatados, gelatina em pó, mistura pra bolo, milho de pipoca, óleo, leite em caixa longa vida, entre outros de primeira necessidade.

Mas, há produtos que não devem ser doados, ressalta Letícia: “Por mais que seja a boa vontade, há certos alimentos que podem representar um risco alimentar para quem vai consumir. Sobras de refeições prontas, alimentos fora do prazo de validade ou que deveriam estar no freezer ou que já foram descongelados. Todo este cuidado existe para que possamos contribuir de forma positiva na vida das pessoas, colocando a segurança alimentar como nossa prioridade”.

MANEIRAS DE DOAR

  • Projeto Bom Coração
  • Rua João Forti, 130 – Cecap – Olímpia (Ponto de referência: Igreja Ministério Resgate)
  • Supermercado Iquegami – a confirmar
  • On-line: Vakinha ou transferência bancária

CONTATO

  • Telefone (WhatsApp): (17) 99738-4818
  • Redes Socais: Facebook – Projeto Bom Coração
  • Instagram: @projetobomcoracao
  • Por e-mail: [email protected]ção.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here