Por Ivanaldo Mendonça – O calendário da Igreja nominado Ano Litúrgico tem seu início no período que antecede o Natal. Assim a Igreja propõe que o tempo que nasce encontre sentido na celebração do nascimento de Jesus.

O calendário litúrgico é inaugurado através do ciclo do Natal, composto por três momentos. Primeiro, o tempo do advento, as quatro semanas preparatórias.

Segundo, a solenidade do Natal de Nosso Senhor Jesus Cristo em si. Terceiro, o tempo do Natal que, prolongando as festividades objetiva que seu sentido e significo sejam aprofundados.

Dentre os vários símbolos e sinais dos quais se servem os homens, ao longo dos tempos, para traduzir e representar a grandeza, beleza e profundidade do nascimento de Jesus Cristo, destaca-se o presépio.

Visando reconhecer, valorizar e incentivar a prática desta importante e significativa expressão de fé, no último 1º de dezembro, o Papa Francisco, deu a conhecer sua mais nova Carta Apostólica, intitulada ‘Sinal Admirável1 (Admirable Signum), na qual versa sobre o significado e valor do presépio.

Após apresentar os fundamentos bíblicos da cena do nascimento de Jesus relatada no Evangelho (Lucas 2, 1-20) e fazer um breve resgate histórico, cujas origens remontam a Francisco de Assis (1223), o pontífice evidencia elementos essências da mensagem contida no presépio, o qual define como grande obra de evangelização.

Adornada, ao mesmo tempo, pela grandeza e simplicidade, a catequese contida no presépio faz saltar aos olhos, corações e vidas, três grandes graças, que possuem como elemento comum, o dom do encontro.

A graça do encontro com Deus: Através do presépio vislumbramos e tomamos consciência da iniciativa de Deus que, do alto de Seu poder inclina-se e, por amor, envia seu Filho que, assumindo a condição humana, entrega-se pela nossa salvação, reabrindo-nos as portas dos céus, lacradas pelo pecado, recuperando-nos o dom da vida eterna.

A graça do encontro consigo mesmo: Através do presépio encontramos sentido para o dom da existência, assim como respostas ás questões mais profundas sobre a origem, caminho e finalidades do ser e existir humano.

A graça do encontro com os irmãos: Através do presépio damo-nos conta de que a realização humana passa, necessariamente, pela capacidade de reconhecer o outro, seja ele quem for, como parte de nós, assim como, de superar tudo o que agride a dignidade humana e coloca em risco a fraternidade.

O conjunto da obra, assim como cada cena e personagem do presépio, tanto os principais quanto os inseridos como fruto da imaginação criativa e esforços por adaptar sua mensagem ás realidades de cada tempo e lugar, propõem colocarmo-nos a caminho, escutar a voz de Deus que fala ao coração, dispondo-nos a ser como presépios vivos, instrumentos de Sua presença a tantos quantos encontrarmos.

Feliz Natal, todos os dias!

Ivanaldo Mendonça

Padre, Pós-graduado em Psicologia, Coaching

[email protected]

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here