A Estância Turística de Olímpia se tornou cidade irmã da Olympia da Grécia. A Cerimônia de Irmanação ocorreu após diversas tratativas e decisões aprovadas pelos Conselhos Municipais, com proposta oficial apresentada pelo prefeito Fernando Cunha e intermediada pelo embaixador do Brasil na Grécia, Cesario Melantonio Neto.

A geminação também contou com apoio fundamental do neurologista e professor da UNIFESP (Universidade Federal de São Paulo), Prof. Dr. Acary Bulle Oliveira, que esteve presente na cerimônia e, no ano passado, coordenou um simpósio de saúde na Estância Turística de Olímpia, buscando trabalhar o resgate das histórias gregas quanto aos ensinamentos em Saúde, relacionando-os à natureza hidrotermal de Olímpia com o objetivo de transformar a cidade em um território para promoção da saúde integrada, unindo corpo, mente, arte, cultura e espiritualidade.

A solenidade que oficializou o ato foi realizada no último dia 10 de junho, na Grécia, com a presença de representantes olimpienses como o secretário de Gestão e Planejamento, Edilson De Nadai, e a turismóloga Cristina Prado.

A geminação de cidades é um conceito que tem como objetivo criar relações e mecanismos protocolares, essencialmente em nível espacial, econômico e cultural, através dos quais cidades de áreas geográficas ou políticas distintas estabelecem laços de cooperação. Estes acordos levam ao estabelecimento e intercâmbio cultural, partilha de conhecimento, ensino (estudantes) e políticas empresariais entre outras atividades.

O palco da cerimônia foi Templo de Hera, local sagrado no sítio arqueológico de Olympia, berço dos Jogos Olímpicos, que tiveram início em 776 A.C. É deste templo que a cada quatro anos é acesa a pira dos Jogos Olímpicos e de onde a tocha é levada por atletas até a cidade sede do evento. É um lugar mágico e de muita representatividade, que acolheu a comunidade olímpica e os representantes olimpienses para a assinatura do termo de irmanação.

Após a entoação do Hino de Olympia por um coral de estudantes, os presentes entoaram o Hino Nacional da Grécia e o Hino Nacional Brasileiro. Na sequência, o Prefeito de Antiga Olympia, Efthymios Kotzas, fez o discurso em grego, traduzido para o inglês, para que a comitiva de Olímpia pudesse entender. Em seguida, Dr. Edilson De Nadai, que representou o prefeito Fernando Cunha, proferiu seu discurso em português, o qual foi traduzido para o grego. A ocasião se fez ainda mais especial porque essa foi a primeira vez que a Língua Portuguesa foi falada no Templo de Hera e no sítio arqueológico dos Jogos Olímpicos.

Em seguida, foi lido o texto do documento oficial da irmanação em grego e em português, sendo que os dois representantes do Executivo das duas cidades assinaram o termo de geminação, elaborado nos três idiomas utilizados na cerimônia.

O documento trazia em seu conteúdo a visão comum de promover os grandes ideais olímpicos de amizade, paz e fraternidade entre as nações, bem como a visão comum do desenvolvimento das relações culturais, turísticas e esportivas entre as cidades, os cidadãos e as nações da Grécia e do Brasil.

A cerimônia também contou com a presença dos membros do Conselho de Administração da antiga associação mercantil de Olímpia “Hermes”. Ao término do evento, os olimpienses puderam conhecer pontos históricos e turísticos importantes da cidade irmã e discutiram ações que podem ser implementadas a partir da irmanação.

Assim, foram debatidas possibilidades de atuação conjunta em reunião realizada com os representantes do Poder Público, da União Comercial, da Associação dos Hoteleiros, do Conselho da Cidade, do Conselho de Turismo de Olympia, da representante da região no Parlamento Europeu, dentre outros participantes.

Dentre as ações iniciais que podem ser desenvolvidas conjuntamente pelas duas cidades, destacam-se: divulgação conjunta, através de site único que forneçam informações de Olympia e Olímpia; desenvolvimento de linha de cosméticos e medicinais com as águas termais de Kaifás (cerca de 50km de Olympia); assessoria na implantação de museus em Olímpia; assessoria no planejamento e estruturação da atividade turística – benchmarking – de Olímpia; informações e estudos a respeito do uso das águas termais para prevenção de doenças (proposta do Epidauro Brasileiro em Olímpia); intercâmbio na área cultural, com modelos de eventos que possam ser realizados em Olímpia ou melhorar os existentes; apoio no envio de grupos folclóricos para participar de Festivais de Folclore internacionais, com a contrapartida de enviar grupos folclóricos olimpienses para se apresentarem na Olympia grega; incentivo para a vinda de turistas gregos para conhecer a Olímpia brasileira, dentre outras oportunidades.

“Nossa cidade é uma cidade relativamente nova, uma cidade de pouco mais de cem anos, que nasceu com a agricultura, mas a nossa grande riqueza econômica geradora de emprego e renda tem sido a atividade turística. Aqui são utilizadas as águas termais praticamente somente para divertimento, entretenimento, mas novos campos havemos de explorar e nós queremos buscar na tradição, na riqueza, na experiência de Olímpia Antiga um pouco de cooperação para o nosso município e se possível também poder contribuir com a cidade de vocês, que foi o berço do esporte mundial das olimpíadas e tem uma carga cultural magnífica, que poderá nos ensinar muito. Tudo aquilo que a nossa cidade, a nossa gente puder fazer por vocês, os senhores podem contar com o apoio da nossa cidade, com a proteção de Deus, com a proteção de Zeus, o rei dos deuses, nós esperamos poder fazer dessa irmanação uma história de ganho de qualidade de vida para a nossa população e de toda a população de Olímpia Antiga”, declarou o prefeito Fernando Cunha em depoimento gravado e exibido durante o jantar de confraternização da irmanação.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here