selo-ivanaldo.jpgPor Ivanaldo Mendonça — De um lado clérigos se queixam da sobrecarga de trabalho, justificando não ter condições de cumprir o que compete à essência de seu ministério; fiéis leigos e leigas engajados queixam-se tanto do abandono de seus pastores quanto do cúmulo de funções, justificando que muitos daqueles que poderiam colaborar não assumem responsabilidades.

Na outra margem uma multidão aguarda, ansiosamente, pela oportunidade de conhecer o tal Jesus que tanto os clérigos como os leigos engajados dizem amar, adorar, seguir e servir.

O que está acontecendo?

O pano de fundo desta e tantas outras questões impõem-nos refletir acerca do exercício da liderança na Igreja. O que de imediato pode ser visto como uma profunda crise revela-se, na verdade, uma rica oportunidade de mudança; à medida que, tendo em vista o ideal a ser alcançado, debruçando-nos sobre a realidade, com suas luzes e sombras, somos capazes de avaliar, refletir, propor e decidir acerca de ações efetivas que imprimam eficiência e eficácia à ação evangelizadora da Igreja.

Na tentativa de responder as questões referentes a liderança, muitos organismos e instâncias responsáveis pela animação pastoral desenvolveram projetos e ações denominados ‘formação de liderança’ que, na prática, não passam de palestras, encontros ou cursos destinados a formar e orientar acerca de funções e ministérios específicos (catequista, ministros, cantores, leitores…). Em muitos lugares o aumento no volume de atividades e a pressão para cumprir extensas agendas provocaram mais queixas.

‘Formação de liderança’ é uma referência ampla aplicada à orientação de todos os que desempenham ministérios na Igreja e que deve ser contínua, permanente. A questão que demanda ações específicas e pontuais é a ‘formação para o exercício da liderança’.

Sua missão é buscar respostas a questões como: Qual a missão do líder na Igreja? O que é liderança eclesial? Qual o perfil do líder de uma pastoral, comunidade, paróquia? Como identificar pessoa com perfil para o exercício da liderança na Igreja? Como inspirar os líderes a cumprir sua missão?….

Configura-se o cenário: levantamento das queixas (clérigos, leigos engajados, pessoas a espera); identificação da situação-problema (liderança); superação de um equívoco (formar liderança não é formar para o exercício da liderança); definição do foco (formar para o exercício da liderança).

Prepara-se o terreno para propor e iniciar um processo de reflexão maduro acerca da questão: formação para o exercício da liderança na Igreja. Referências não nos  faltam, desde os muitos recursos disponibilizados pelas ciências humanas e áreas especializadas na formação de pessoas e lideranças, até o maior expoente da arte de formar pessoas para o exercício da liderança que é o próprio Jesus.

O caminho está aberto! Ousemos!

Ivanaldo Mendonça

Padre, Pós-graduado em Psicologia

[email protected]

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here