Por Ivanaldo Mendonça — Às portas de um novo Natal, como nunca antes vivido, em função da pandemia do novo corona vírus e tudo aquilo que esta realidade nos impõe, da dimensão pessoal à coletiva, das medidas preventivas ao isolamento e distanciamento social até os impactos econômicos e culturais, somos desafiados a encontrar sentido e significado para celebrar uma das maiores festas anuais.

Muito embora o Natal abrace e seja abraçado por toda a humanidade e sua comemoração reveste-se das mais diversas formas, vale ressaltar que seu real sentido é de natureza espiritual. Só considerando e contemplando esta dimensão da existência humana, a espiritual, é que, de fato, acessaremos o verdadeiro significado tanto dos festejos quanto da importância e necessidade de celebrar.

O real sentido e significado do Natal está para além da realidade pandêmica. O Natal não possui significado em si mesmo; suas raízes remontam à verdade máxima da fé cristã, o mistério revelado da paixão-morte-ressurreição de Jesus, através do qual a humanidade é resgatada do pecado e da morte, recobrando a possibilidade de acessar a eternidade, experiência sem a qual o ser humano não se realiza plenamente. Natal é celebração do mistério revelado da encarnação do Filho de Deus, Jesus Cristo, que assume a natureza humana para nos salvar.

A dinâmica do primeiro Natal relatada pelas Sagradas Escrituras insira-nos a celebrar: “O povo que andava nas trevas viu uma grande Luz” (Is 9,1) anuncia o profeta. Com o anjo Gabriel aprendemos que Deus se comunica porque ama (cf. Lc 1,26); com Maria experimentamos a predileção de Deus pelos humildes: (Lc 1,49); com José aprendemos a confiar em Deus (Mt 1,24); da anciã Isabel aprendemos que Deus sempre nos surpreende: (Lc 2,43) ; dos pastores aprendemos que Deus se manifesta aos simples: (Lc 2,8); com os magos constatamos: é um rei que nasceu! (Mt 2,2); com o coro dos anjos louvamos: (Lc 2,14); através dos animais e da estrela a criação acolhe o salvador: (Lc 2,7). O grande mistério do Natal se revela: Jesus é a luz que brilha sobre nós! (Jo 1,14).

Como celebrar o Natal em tempos de pandemia? Natal é festa do amor, da acolhida, do encontro, da alegria e da caridade: O novo coronavírus impede-nos de amar e acolher, de nos encontremos a partir dos corações, de nos alegremos em Deus e de sermos fraternos? Não! Se de tudo devemos aprender uma lição, a pandemia do novo corona vírus concede-nos a belíssima oportunidade: permitir que o Natal seja Natal! Simples assim!

Feliz e abençoado Natal!

Ivanaldo Mendonça
Padre, Pós-graduado em Psicologia
[email protected]

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here