Da Redação / Exclusivo — O prefeito Fernando Cunha, de Olímpia, revelou em entrevista exclusiva ao Diário nesta segunda-feira – ‘Live Diária’, 13h – que a Santa Casa de Misericórdia local poderá se transformar em ‘Hospital-Escola’ da UNIESP de Fernandópolis, recebendo investimentos e melhorando, inclusive, o atendimento da saúde pública com os médicos residentes. A informação deu-se quando Fernando veio ratificar a garantia de que alunos da UNIESP de Olímpia – Ex-FAER, hoje Faculdade de Olímpia – não ficarão sem aulas neste próximo semestre, já que não houve acordo judicial entre a instituição e a ex-FAER de permanência no prédio devido valores de aluguel. (Confira a ‘live’ abaixo)

Acerca da cessão de duas escolas municipais, no período noturno, para atender cerca de 600 alunos, que ficariam sem aulas por causa do despejo no final do primeiro semestre, o prefeito disse que “não poderia ficar alheio à essa necessidade dos alunos e professores, procurei a Secretaria da Educação, que escolheu duas escolas – Santo Seno e Professor Maurício – com o compromisso de ficar até dezembro, meados de janeiro, no máximo, e que a UNIESP até lá tenha o seu prédio próprio construído”.

“Não poderíamos ficar alheios à essa problemática, vai ter um desconforto nesse período, mas é um socorro momentâneo, são alunos olimpienses, que precisam continuar os seus estudos, e a contrapartida será comprar um terreno e construir até o final do ano, pela UNIESP, o reitor Fernando Costa se comprometeu, ele já comprou o terreno, está na terraplanagem, estamos aguardando ele protocolar o projeto para iniciar as obras”, acrescentou o prefeito.

O prefeito disse, ainda, que “preferia que ele tivesse encontrado um prédio particular, mas ele disse que procurou e não encontrou, e diante dessa situação emergencial, as duas escolas municipais, mediante um aluguel, que pode girar em torno de R$ 20 mil, além das benfeitorias que ele fará nesse período para as suas adaptações, foi a solução encontrada, com todo o aparato jurídico, dentro da lei”.

“Eu só espero que a situação não se acomode e fique neste semestre somente. O reitor me disse que tem experiência em obras com pré-moldados, e que ainda neste ano a primeira fase, para acolher esses alunos, estaria pronta, assim espero”, assinalou Fernando.

A Câmara Municipal apreciará a cessão de uso onerosa por período determinado na noite de hoje (24), a partir das 19h. Alunos da UNIESP estão se mobilizando para acompanharem nas galerias.

prefeitodo

HOSPITAL-ESCOLA e ‘MEA CULPA’

Ao comentar que o reitor da UNIESP, Fernando Costa Pinto, havia anunciado ao Diário, com exclusividade, também ao vivo, a construção da Faculdade de Olímpia, e que poderia trazer um ‘campus’ da Universidade Brasil, em que é também reitor, trazendo mais cursos, exceto Medicina, o prefeito revelou a possibilidade de transformar a Santa Casa local em Hospital-Escola e o ‘mea culpa’ de Fernando Costa em relação à família Riscali (naquela entrevista, ao vivo, de surpresa, fez várias críticas à ex-mantenedora, Tina Riscali, atual secretária da Cultura, Esportes e Lazer, gerando até um conflito dele com familiares dentro da Redação, na sequência).

“Eu estive com o Fernando Costa há uns quinze dias, a convite dele, em seu gabinete, na capital paulista, e ele estava arrependido em relação ao que dissera em relação à Tina e à família Riscali, quer fazer uma retratação pública, ele ainda fará com você, me disse isso, mas com o cenário do despejo e outros eventos, ele não teve esse tempo. Ele quer se desculpar, a Tina não significa o que ele falou, disse ter exagerado nas palavras”, relatou o prefeito.

Naquela conversa, falando sobre Medicina, o reitor teria oferecido uma negociação entre o reitor da Universidade de Fernandópolis com a diretoria da Santa Casa para transformá-la em Hospital-Escola: “É um ganho importante para a Santa Casa, as bases para dar certo é que a UTI e o Pronto-Socorro estejam funcionando, e que tenha cinco especialidades básicas, e daí ele colocaria cerca de 30 alunos”.

Se a Santa Casa for enquadrada como Hospital-Escola, segundo Fernando, “se o SUS paga hoje cerca de R$ 300 mil mensais, iria para R$ 500 mil, o que é um salto significativo, cobrindo o rombo”.

Mas, advertiu: “Não é rápido, é um caminho longo, mas é assim que as coisas acontecem, com persistência”.

DIA DO AGRICULTOR E DO BOMBEIRO, QUINTA

Ainda na entrevista ‘ao vivo’, Fernando Cunha falou de dois eventos que ocorrem na quinta-feira (27): às 9h, no Recinto do Folclore, com o secretário de Estado da Agricultura, Arnaldo Jardim, que se reúne com agricultores de Olímpia e região, comemorando o Dia do Agricultor; e, na sequência, às 10h, na Praça Central, a comemoração do Dia do Bombeiro.

“Eu pedi para o Arnaldo vir mais cedo, porque quero dar um giro pela cidade, aproveitar para ver o que ele pode trazer para nós, a função do prefeito é sempre essa, estar bem relacionado, pedir, eu gosto de levar os visitantes pela cidade, é um hábito salutar”, acrescentou Cunha.

A ENTREVISTA ‘AO VIVO’

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here