A Paraíba, um dos Estados que encanta o público do Festival do Folclore da Estância Turística de Olímpia, tem presença confirmada em mais uma edição da festa, que, este ano, será de 3 a 11 de agosto. De viagem marcada, está o tradicional Grupo de Cultura Nativa Tropeiros da Borborema, agremiação que coleciona participações no Fefol.

A expressão viva do folclore brasileiro. É assim considerado o Grupo Tropeiros da Borborema, de Campina Grande – PB. Pioneiro na modalidade dança folclórica na cidade, o grupo tem se destacado com o seu trabalho sério na preservação da cultura popular nordestina, mantendo vivas as raízes culturais e resgatando as tradições daquele povo.

Sua criação inspirou-se na formação histórica de Campina Grande, quando a cidade marcava os primeiros passos de desenvolvimento. Os Tropeiros foram componentes para o progresso e desenvolvimento de Campina Grande, transportando alimentos, como farinha, feijão, milho, cana-de-açúcar e peles de animais, em lombos de mulas e jumentos em caminhadas longas que pareciam não ter fim, enfrentando a chuva e o sol quente dos sertões.

Fundado em maio de 1982, pelos professores Gerson de Oliveira Brito, Josefa de Lourdes Lira Brito e Evandro do Carmo Souza, o grupo tem como objetivo primordial pesquisar, divulgar, preservar e manter vivas as tradições. Entidade reconhecida de utilidade pública, constitui-se patrimônio cultural da Paraíba.

Em seu invejável currículo, traz ousados títulos como de grupo mais autêntico do mundo, conferido pela imprensa especializada francesa, e com a indicação para o prêmio Mambembe 1996, uma espécie de Oscar da Dança, concedido pelo Ministério da Cultura, por meio da Funarte.

O grupo já percorreu quase todos os estados brasileiros, com destaque nos principais eventos do país, a exemplo do Festival do Folclore de Olímpia. Por três vezes, representou o Brasil na Espanha, duas vezes na França e uma vez na Coréia do Sul.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here