Durante a entrevista ao vivo no programa “A Verdade Total em Tempo Real“, do Grupo Diário, o prefeito Fernando Cunha foi perguntado sobre o seu futuro político, e também sobre a candidatura ao governo do Estado e sua visão da política federal.

“O senhor ao encerrar o mandato, o segundo, por sinal muito bem, vai se candidatar novamente a deputado ou encerra a sua carreira?”, questionou o diretor da Organização, Monteiro Neto. O prefeito de Olímpia declarou: “Eu sou um militante político, mesmo quando fique fora 20 anos, ajudei o Aloízio Nunes, o Ricardo Trípoli em certo momento, como político não tenho pretensões nenhuma, a vida de deputado é muito sacrificada no aspecto pessoal, mas posso colaborar no plano de ideias, não tenho vontade de ter cargo público, mas vou sempre colaborar com Olímpia, dando palpite quando me chamarem, mas por ora não tenho projeto futuro nenhum, vou ficar quietinho em meu canto”.

Os entrevistadores não se deram por satisfeito: “Queremos entender um pouquinho como é que a mente política do prefeito, estamos à frente de uma eleição para o Governo do Estado, o governador Dória está incentivando o Rodrigo Garcia, seu vice; e, de outro lado, o ex-governador Geraldo Alckmin também com pretensão, pelo PSDB, e vemos nos bastidores o seu partido, PSD, do Gilberto Kassab com o Geraldo, como o senhor vai ficar entre esses dois polos?”.

Fernando Cunha disse que a eleição deverá estar polarizada entre ‘o azul e o vermelho’, este com Haddad e o azul com Rodrigo Garcia, Geraldo Alckmin, ainda Rodrigo é desconhecido, Alckmin sai na frente, tem um ‘recall’ popular enorme, um deles irá submergir, daí Geraldo pode cair um pouco e o Rodrigo suba, mas de qualquer forma, em São Paulo, vai dar o lado azul”.

Fernando Cunha, Rodrigo Garcia e Geninho Zuliani

“Pessoalmente”, prosseguiu o prefeito de Olímpia, “tá muito difícil, tenho uma dívida com o Rodrigo Garcia. Quando eu fui candidato a prefeito, o Geninho foi contra, tinha outro candidato, e o Rodrigo combinou que, se Geninho tiver candidato do DEM ele não viria à Olímpia, porque contra você eu não vou ser, e foi o que ele fez. Então, eu tenho uma dívida de gratidão que eu pago politicamente”.

Cunha deixou claro que “infelizmente é muito provável que Geraldo saia pelo PSD com Márcio França com Skaff senador, gosto do Geraldo, Márcio França me ajudou, eu o apoiei contra o Dória, mas tenho essa dívida com o Rodrigo que eu pretendo pagar. Eu o acho preparado em favor de nossa região”.

O prefeito disse que, durante a sua campanha, não apoiou Geninho para deputado federal, e sim Waldomiro Lopes, mas, ao final da eleição, “acabaram-se as diferenças, agora a luta é por Olímpia, pela região, vamos remar juntos”.

Ao final, foi elogiado por seus entrevistadores: “Olha, o prefeito Fernando Cunha precisa vir mais vezes aqui, ele fala tudo o que ele pensa, possui lucidez, uma transparência que ele impressiona a gente”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here