Conforme noticiado com exclusividade no início da madrugada de hoje (21) pelo Diário, o ex-delegado Moacir Rodrigues de Mendonça foi preso nesta quinta-feira (20) em Itu (SP). Ele foi condenado a 18 anos e 8 meses em regime fechado pelo crime de estupro contra a neta. O crime ocorreu em setembro de 2014, no Tuti Resort, de Olímpia. Os dois foram até a cidade passar um fim de semana no local. O convite partiu do avô, na época com 62 anos.

O combinado era de que ele iria com a neta, a irmã dela e uma irmã dele, mas na última hora ele decidiu viajar só com a menor, que na época tinha 16 anos.

O advogado de defesa de Moacir disse que ele foi levado para o presídio da Polícia Civil em São Paulo. O ex-delegado ainda pode recorrer do caso, que corre em segredo de Justiça.

Em depoimento ao Diário, a mãe Virna Heloísa Rodrigues de Mendonça, confessa que ficou ‘atordoada’, em um primeiro momento, com a prisão do pai, objeto de sua luta ativista há três anos, mas que pensou ‘em primeiro lugar’, em minha filha, ‘hoje sem qualquer vida social normal, digna’. Leia o que ela gravou para o Diário:

Virna1“Graças a Deus a Justiça começou a ser feita, saiu o mandado de prisão quase à meia noite de ontem (20), mandei em primeira mão para o Diário, e vocês publicaram no comecinho da madrugada de hoje.

Ele foi preso, graças a Deus. Estou meio que anestesiada com essa informação porque, como você sabe, estava indo para Olímpia todos os dias, desde sexta-feira (14), inclusive fizemos uma transmissão ao vivo pelo Diário contando esse drama.

Como você noticiou corretamente, na tarde de ontem eu fui proibida de saber sobre o caso, dentro do Fórum, eu teria de buscar, em outra cidade, a minha filha para saber sobre esse mandado, mas, felizmente, graças a Deus, à mídia, a vocês, do Diário, que nos abriram as portas e os microfones, até ao vivo pelas redes sociais, o mandado foi cumprido.

Ainda estou anestesiada, mesmo sabendo que foi verdade, ainda em choque, por isso que eu luto, pela Justiça. Agora, eu posso buscar a minha filha, onde ela se encontra, para tentar levar uma vida normal, porque, enquanto o meu pai, o avô dela, estiver preso, ela não estará correndo nenhum perigo, apesar de algumas pessoas que não ficaram satisfeitas com a prisão dele. São pessoas que sempre o apoiaram porque ele as apoiavam financeiramente.

Agradeço imensamente a você, Leonardo, às pessoas que mandaram mensagens positivas quando fizemos a ‘live’ no Diário, a Justiça dos homens foi feita. A minha luta de três anos não foi em vão. Não consegui dormir desde ontem.

Ele  já se encontra no presídio da Polícia Civil, apesar que para ele esse presídio é quase um SPA, por permitir muitas regalias, mas enquanto ele estiver preso é um começo.

Obrigado por tudo, se precisar de mim, em qualquer oportunidade, estarei aguardando.

Agradeço a todos. Muito obrigado”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here