Diarioweb – A estudante L.A.M.M., 18 anos, criticou a decisão do juiz de Olímpia que absolveu o delegado Moacir Rodrigues de Mendonça, avô dela, acusado de tê-la estuprado em um hotel do Thermas dos Laranjais, de Olímpia, em 2014.

Em entrevista exclusiva ao Diário, a jovem se disse revoltada com os termos utilizados pelo juiz da Vara Criminal de Olímpia, Eduardo Luiz de Abreu Costa, na sentença.

O magistrado sugere que L.A.M.M. teria consentido com a investida do avô, e que não houve nem mesmo violência moral contra a jovem.

“Se tivesse sido morta, quem sabe meu avô teria sido condenado”, ironizou. “Dói saber que ele fez tudo aquilo comigo e saiu impune. Fiquei muito revoltada.”

Para a jovem, a sentença fez com que o avô delegado ficasse solto e ela, presa. “Não posso sair de casa sozinha para nada. Tenho muito medo dele e dos irmãos dele, que são meus tios-avós.”

Até o fim da tarde de hoje, dia 19, o juiz não havia retornado os recados deixados com a secretária do Fórum de Olímpia.

A advogada da vítima, Andrea Cachuf, pretende representá-lo no Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Allan de Abreu 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here