Por Ivanaldo Mendonça – Ao anúncio feito por Jesus de que voltaria ao Pai e enviaria o Espírito Santo sobre seus discípulos, segue-se a Solenidade da Ascensão do Senhor. No contexto central da fé cristã, o mistério da paixão-morte-ressurreição de Jesus, esta celebração ocupa lugar especial, tanto porque evidencia a verdade da divindade de Jesus que, tendo cumprido a missão confiada pelo Pai, regressa aos céus, quanto porque manifesta o sentido pleno da existência humana, pois quando, em sua humanidade, Jesus adentra os céus, concede a todos os homens igual possibilidade.

Contemplemos as maravilhas do Senhor realizadas na vida de cada homem e de toda a humanidade. Em Jesus o divino se faz humano para que o humano se faça divino. Esta verdade de fé manifesta, de forma concreta, o real sentido e significado da existência humana: nascidos do querer amoroso de Deus alcançamos plena realização somente quando a Ele regressamos. Jesus é caminho, verdade e vida que nos conduz à eternidade. A criatividade deu o tom a esta verdade através da canção: “O meu lugar é o céu é lá que eu quero morar!

Ao tomar consciência de o quanto está intrinsecamente unido ao Criador, fazendo uso do dom da liberdade que o próprio Deus lhe concedera, o homem é chamado a aderir, por si só, e á, no amor generoso e gratuito, escolher pertencer a Deus, assumindo-O como seu Senhor. Esta dinâmica insere-o no caminho de Jesus, de quem aprende a amar a Deus, a si próprio e aos irmãos, assim como a assumir compartilhar da missão de colaborar na construção de um mundo melhor para todos, indistintamente.

Nascidos do coração de Deus, caminhar em Sua presença na terra e, passado este tempo perecível, mergulhar em Sua eternidade. Com um amigo mais velho aprendi a reconhecer e nomear um sentimento estranho que, vez em quando, se apossada do meu ser, provocando grande desconforto.

Esse sentimento era marcado por certa dose de estranheza a tudo e a todos, dando-me a impressão de que eu não cabia em lugar algum, assim como, todas as coisas pareciam não me preencher. Dizia-me o amigo: “Isto se chama saudades dos céus! Isso se chama saudades de Deus”.

Ao mesmo tempo em que nos remete aos céus, a solenidade da Ascensão do Senhor esclarece: este caminho consiste, impreterivelmente, não em ficar olhando para o alto, mas sim, em anunciar, por palavras e obras, as maravilhas que o Senhor realiza em nós e que, através de nós, Ele quer realizar na vida de todos os que encontrarmos pelo caminho. Por conta próprias não merecemos os céus; recebemos esta graça de Deus. Caminhemos, alegremente, para a pátria celeste. O meu lugar é o céu!

Ivanaldo Mendonça
Padre, Pós-graduado em Psicologia
[email protected]

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here