Por Ivanaldo Mendonça — Volta e meia detemo-nos a refletir acera das pessoas, tanto aquelas com as quais escolhemos viver e conviver quanto aquelas com as quais somos obrigados, por alguma razão, a viver e conviver. Consideramos as marcas que cada uma delas, através de seu jeito de ser, tem deixado impressas em nós e em nosso caminhar. Importante considerar que, sendo cada pessoa um universo exclusivo, compará-las consiste numa grande perda de tempo e energia.

Sem dúvida se destacam nessa análise as pessoas que possuem como característica o dom da empatia, sobretudo quando, por alguma razão, fomos nós os destinatários de seus atos e atitudes marcadas pela capacidade de colocar-se no lugar do outro. Quando estávamos perdidos e elas nos acolheram, quando nos confundimos e elas nos compreenderam, quando erramos e elas nos perdoaram, quando nos exaltamos e elas se silenciaram. Aqueles que foram e são empáticos para conosco, vimos agradecer!

Ocupam, também, na memória de nossa mente e de nosso coração as pessoas capazes de nos suportar, sobretudo, suportar nossas misérias, vícios e manias e que, considerando os efeitos do tempo, permitiram que permanecêssemos em suas vidas, até que alcançássemos o grau de maturidade e equilíbrio suficientes para reconhecermos a tantas vezes nas quais não fomos quem deveríamos ter sido e não agimos como deveríamos ter agido. Aqueles muitos que foram e são capazes de nos suportar, vimos agradecer!

Como não ter presente as tantas pessoas que não desistiram de nós? Sim! Poderiam ter simplesmente se afastado ou nos ignorado; poderiam ter vomitado em nós os dejetos da raiva que lhe fizemos passar, das violências e afrontas que lhes dirigimos, das mentiras das quais foram nossas vítimas. Não! Mesmo discordando de nós e nos confrontando, ao colocar-nos diante do espelho da vida, elas permaneceram conosco. Aqueles muitos que de nós não desistiram, vimos agradecer!

Empatia, resiliência amorosa e compaixão, sem dúvida são marcas de pessoas que, embora não sejam melhores ou piores que as demais, possuem o dom de acreditar em cada ser humano e na humanidade. Pessoas libertadoras, por onde passam, deixam rastros de amor, fidelidade e esperança, ajudando-nos a compreender que todas as realidade podem ser transformadas pela força do amor e da fé. Obrigado a todos e a cada um de vocês, pessoas libertadores, que passaram, estão passando e passarão por nossa existência.

Ivanaldo Mendonça

Padre, Pós-graduado em Psicologia

[email protected]

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here