A Prefeitura da Estância Turística de Olímpia, por meio da Secretaria de Saúde, acaba de entregar a primeira unidade do Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) I do município. O prédio recebeu o nome do médico “Dr. Aldo Casarini Júnior”, que faleceu em junho do ano passado, aos 61 anos, após prestar grande contribuição à população olimpiense nos serviços de saúde. O Diário gravou o evento:

A família do homenageado também esteve presente na ocasião e agradeceu a condecoração. A escolha do nome, que foi uma indicação do vereador Hélio Lisse, foi bastante elogiada, sendo considerada uma justa homenagem ao trabalho do médico e ex-vereador da cidade.

A inauguração da unidade, que fica localizada no cruzamento da Rua 9 de Julho com a Rua Síria, foi realizada na tarde desta quarta-feira, dia 26, com a presença do prefeito Fernando Cunha, do vice Fábio Martinez, do secretário de Saúde, Marcos Pagliuco, outros secretários municipais, equipe do setor de Saúde Mental, vereadores, servidores e comunidade.

O equipamento visa oferecer à população um acompanhamento clínico multidisciplinar e a reinserção social dos usuários por meio do acesso ao trabalho, lazer e exercícios que estreitam os laços familiares e comunitários.

A implantação do CAPS foi conquistada por meio de um convênio do município com o Governo Federal e faz parte da estratégia da atual administração em melhorar os atendimentos e os serviços de saúde do município com uma equipe composta por psicólogos, terapeutas ocupacionais, educadores e psiquiatras que farão atividades de reintegração social.

Para o prefeito Fernando Cunha, Olímpia está se equipando para suprir uma demanda futura crescente de pacientes que necessitam de atendimento especializado para tratamento de doenças psiquiátricas. “É mais uma etapa de uma batalha que estamos combatendo desde o primeiro dia. A Saúde é caótica no país e, em Olímpia, não era bem conduzida, mas nós adequamos até chegar numa equipe correta. Na minha visão, nós temos dois problemas que serão grandes desafios para a Saúde do mundo: o envelhecimento da população e as doenças psicológicas, que têm se agravando cada vez mais. Por isso, a importância de começarmos logo com um espaço bem estruturado como este do CAPS porque as pessoas vivem uma pressão muito grande e não encontram um amparo em equipamentos sociais e de saúde adequados. Além disso, investimos na UPA, Centro de Diagnóstico, Farmácia Municipal, fizemos inúmeras melhorias Santa Casa, como a UTI, reativação do 3º andar, reforma da cozinha, do centro cirúrgico e outros, e seguimos trabalhando com afinco por uma saúde melhor, assim como o Dr. Aldo, médico respeitado que também lutava pelas pessoas”, ressaltou o prefeito.

Também presente no evento, o vice-prefeito, Fábio Martinez, falou sobre o trabalho em conjunto. “Eu me lembro que a Saúde Mental era uma das áreas mais carentes de estrutura quando chegamos e foi um projeto de toda a equipe construir um serviço de qualidade, com estudo, planejamento e execução. É uma mudança que vejo em todos os funcionários, que estão mais dedicados à saúde de Olímpia, uma equipe dedicada e competente. Assim como o prefeito, enxergo nessas pessoas um futuro bom para a saúde de Olímpia. Boa vontade, dedicação e honestidade não faltam em nossa equipe”, destacou Fábio.

Com a inauguração do novo prédio, o setor de Saúde Mental terá capacidade para atender 20 pacientes por dia, o que representa mais de 400 atendimentos por mês. Somente no ano passado, mais de 5 mil pessoas passaram pela Saúde Mental.

“Quando eu cheguei à secretaria, a estruturação do CAPS foi uma das primeiras recomendações do prefeito Fernando Cunha, que pediu um estudo para implantação da unidade porque não basta fazer a inauguração de um serviço, é preciso de planejamento para que tenha eficácia e, hoje, nós temos uma rede preparada para fazer este trabalho de acolher e atender o paciente psiquiátrico com qualidade. O aluguel deste prédio é subsidiado pelo Governo Federal porque nós temos responsabilidade não só com o dinheiro público, mas com a população e estamos revertendo os impostos em trabalho. Então, hoje é um dia muito especial e de orgulho e eu só quero agradecer o trabalho em conjunto de toda a equipe e das secretarias que não mediram esforços para que pudéssemos concretizar este projeto, que irá beneficiar muita gente”, declarou o secretário de Saúde, Marcos Pagliuco.

Para receber o atendimento no CAPS, o paciente será encaminhado pela Unidade Básica de Saúde para passar por uma avaliação psiquiátrica, que juntamente com a equipe multidisciplinar, determinará o tratamento necessário. Em caso de pacientes que apresentam transtornos psicossociais mais graves e persistentes, serão acolhidos no centro por meio período diário para recebem medicamentos e participar de atividades sociais, e quando necessário durante o dia todo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here