A nova metodologia que será utilizada para a preparação dos noivos para receberem o sacramento do matrimônio foi tema de reunião para secretários paroquiais e agentes da Pastoral Familiar no último sábado (21).

De manhã, na cúria diocesana,  o Setor Família, com a assessoria do bispo diocesano, Dom Milton Kenan Júnior, e do assessor eclesiástico do Setor, padre Cláudio Beraba, apresentou a metodologia para as secretárias e secretários paroquiais. No período da tarde a apresentação foi feia a agentes da Pastoral Familiar.

Padre Cláudio disse que os secretários são agentes especiais nesse passo de qualidade que a Igreja está dando no processo de preparação ao matrimônio. “É um passo muito importante, e vocês sabem que a secretaria é a porta de entrada ou saída da Igreja. Vocês são fundamentais!”, exclamou.

O novo processo, que será desenvolvido em todas as paróquias da Diocese de Barretos foi apresentada por Dom Milton. A partir de então, os noivos deverão procurar as secretarias paroquiais por pelo menos um ano antes do casamento, pois terão de participar de 11 encontros de catequese matrimonial, e esses encontros deverão se encerrar em até seis meses antes da realização do matrimônio. Com isso, os atuais Cursos de Noivos serão extinguidos.

“Aquilo que estamos tratando não se trata de uma direção nossa, não somos nós enquanto diocese que estamos criando isso (essa nova metodologia), se trata de uma iniciativa da Igreja do Brasil, da Comissão Nacional da Pastoral Familiar”, explicou o bispo ao apresentar o livro “Matrimônio: Encontros de Preparação”, de autoria de André e Karina Parreira, membros da Comissão Nacional da Pastoral Familiar.

Esse processo, disse ainda Dom Milton, é também uma iniciação, da mesma forma como já acontece o processo de catequese de crianças e adolescentes (método de iniciação à vida cristã), pois a Igreja se deu conta de que em vários momentos é preciso iniciar as pessoas para que tenham amplo conhecimento do que é ser Igreja e é preciso vivenciá-la, não apenas receber um sacramento sem entender o porquê se recebe. “Por isso se fala de catequese catecumenal. Como já existe uma catequese catecumental para crianças, adolescentes e adultos, (..) fala-se desde 1973, no documento 12 da CNBB sobre o matrimônio, sobre o Catecumenato Matrimonial “, falou o prelado.

Outro ponto discutido no encontro foi a ação das empresas que assistem os noivos nas cerimônias religiosas nas igrejas. As cerimônias deverão ser preparadas também com os casais catequistas dos noivos e não apenas pelos noivos e cerimonialistas, este que, muitas vezes, não são católicos ou são católicos não-praticantes.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here