A Secretaria de Assistência Social, da Prefeitura local, realizou a entrega de aproximadamente 780 certificados das oficinas de fortalecimento de vínculos e socialização, realizadas durante o ano de 2017, nas três unidades do Centro de Referência de Assistência Social (CRAS), no CRIJ (Centro de Referência da Infância e Juventude) e no Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas).

A Secretaria disponibilizou para as famílias atendidas pelos programas, serviços e benefícios sociais as oficinas de cabelo, pintura em tecido, macramê, crochê, corte e costura, culinária, reaproveitamento de garrafa pet, reaproveitamento de pneus, violão, informática, percussão e futebol, além do curso de camareira, que foi ministrado pelo Senac e algumas participantes já foram inseridas no mercado de trabalho.

Outros cursos também foram oferecidos, em parceria com o Sindicato Rural, como processamento de leite e derivados, processamento de tomate, artesanato de lã de carneiro, artesanato em couro e fibra de bananeira e processamento de pimenta.

As oficinas são importantes ferramentas no processo de socialização e têm como objetivo levar aos munícipes mecanismos para ampliar o universo de conhecimento nos equipamentos sociais. Além disso, possibilitam uma nova perspectiva de vida e muitas vezes podem aumentar a renda familiar e, principalmente, fortalecer vínculos comunitários, desenvolvendo as relações de afetividade e sociabilidade, prevenindo as ocorrências de situações de risco social.

Durante a entrega dos certificados, cada aluno recebeu o que produziu durante as aulas e também participou de sorteio de prêmios como crochês, cortes de cabelo, guardanapos, bolsas de pet e bancos e pufes de pneus.

De acordo com a secretária de Assistência Social, Cristina Reale, planejar, contratar, articular, buscar parceiros e participar da entrega dos certificados representam o resultado de um trabalho da equipe do social com os usuários que participam ativamente das atividades desenvolvidas nos equipamentos sociais, que compõem a rede de proteção social. 

“As oficinas são identificadas ouvindo a população. Procuramos ir ao encontro com os anseios e interesses dos usuários, e como podemos contribuir para melhorar a condição de vida das pessoas, no seu desenvolvimento social, resgatando a cidadania e sua inclusão social. Ressalto também que em 2018 teremos ainda mais oficinas para os participantes dos serviços de fortalecimentos de vínculos nos equipamentos sociais”, disse Cristina Reale.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here