O delegado titular de Polícia Civil de Olímpia, Marcelo Pupo, confirmou nesta terça (20) que reabriu o inquérito do desaparecimento dos eletricistas após o encontro, na última sexta-feira (16), do veículo de um deles dentro do Rio Cachoeirinha, após descoberta feita por um pescador.

Como já divulgado, há a suspeita de que, pelo veículo pertencer a um deles, e dentro do veículo estar alguns ossos humanos, o mistério seja resolvido após exame de DNA através do Instituto Mèdico Legal (IML).

O veículo era de Rodrigo Alonso Lopes, de 28 anos, que, na data do desaparecimento, estava com Janielson Daniel Adelino, de 20 anos, há sete anos.

Como se sabe, o carro que foi encontrado com ossos humanos dentro do Rio Cachoeirinha, em Olímpia (SP), estava desaparecido desde 2014. O nível da água baixou por conta da estiagem que atinge a região noroeste paulista e revelou o veículo, que foi visto por um homem que pescava em cima de uma ponte, na tarde de sexta-feira (16). Mergulhadores do Corpo de Bombeiros foram acionados e encontraram uma mandíbula humana com dentição e a parte de trás de um crânio no veículo. As equipes também fizeram buscas para tentar localizar mais ossos, mas não conseguiram por conta da turbidez da água.

O delegado pediu a reabertura do inquérito, e disse que vai aguardar nova busca dos bombeiros no rio para a possibilidade de encontrarem mais ossos ou partes do veículo, o que foi feito na tarde de hoje (20), e também ouvir testemunhas e familiares em busca de pistas do que realmente aconteceu na noite do desaparecimento de ambos em 2014.

“Pedimos que as novas buscas fossem feitas para tentarmos encontrar mais ossos ou informações que possam nos ajudar na investigação. Ainda não sabemos se ossos pertencem a uma ou duas pessoas. Precisamos esperar os laudos”, disse Marcelo Pupo.

Na época em que os dois jovens desapareceram, a noiva de Rodrigo registrou um boletim de ocorrência na delegacia de Barretos, onde narrou à polícia que o noivo e o companheiro de trabalho sumiram depois de irem a um rancho em uma região conhecida como Cachoeirinha.

O QUE ACONTECEU

Segundo a família, Rodrigo estava trabalhando em uma obra em Fernandópolis. Quando acabou o serviço na sexta-feira (20 de junho de 2014), ele foi acertar as contas na empresa que fica em Barretos. No início da tarde, Rodrigo já estava em Olímpia, onde mora, para fazer um churrasco com os amigos. No fim do dia, ele passou em um bar, ficou pouco tempo, e logo, os dois entraram no carro e desapareceram.

A mulher ainda relatou que Rodrigo dirigia um carro preto, que nunca tinha sido localizado. Familiares também fizeram buscas pelos jovens, mas não conseguiram encontrá-los. Dias depois de o registro policial ser feito, a dona de casa Maria José Lopes afirmou que o filho Rodrigo e o ajudante Janielson sumiram após serem visto em um bar de Olímpia. O filho dela, Rodrigo Alonso Lopes, então com 28 anos, pai de duas filhas sumiu sem dar notícias há duas semanas, à época. O colega de trabalho, Janielson Daniel Adelino, então com 20, que veio da Paraíba para trabalhar em São Paulo também desapareceu.

Testemunhas também relataram que os dois foram vistos entrando em um carro juntos. As famílias nunca mais conseguiram falar com os eletricistas depois disso.

Agora, a investigação quer revelar detalhes desse mistério, inclusive se o carro caiu dentro do Rio Cachoeirinha após um acidente.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here