A Estância Turística de Olímpia acaba de inaugurar mais um marco de resgate da história da cidade, a ECO – Estação Cultural de Olímpia. O novo atrativo cultural e turístico do município foi implantado no prédio da antiga Estação Ferroviária, que foi restaurado para recuperar e conservar as técnicas construtivas e características originais do imóvel.

A cerimônia de inauguração foi realizada na noite dessa quarta-feira (15), com o ato oficial e a abertura de três grandes mostras de artes de artistas plásticos renomados, além de exposição de acervo de colecionadores, transformando o espaço em um complexo de valorização da histórica e fortalecimento do turismo e da cultura.

“Aqui era a antiga Estação Ferroviária, com dois grandes prédios, um era o terminal de passageiros, que transformamos numa grande galeria. O segundo prédio era um galpão onde ficavam as mercadorias que eram embarcadas nos vagões de carga e, agora, são duas galerias. Então, nós estamos entregando para Olímpia e para o nosso Brasil essa recuperação urbanística, que é uma nova atração da cidade como um ponto turístico, cultural, e nós teremos mostras culturais que serão trocadas a cada seis meses e, abrimos hoje com três mostras importantes, para que Olímpia seja uma referência de arte do nosso Brasil e eu espero que todos aproveitem este espaço”, declarou o prefeito Fernando Cunha.

A requalificação do complexo arquitetônico contou com cerca de R$ 2 milhões em recursos do Governo do Estado de São Paulo, por meio do DADETUR – Departamento de Apoio ao Desenvolvimento dos Municípios Turísticos, além de contrapartida do município.

No ato, o secretário de Estado de Cultura e Economia Criativa, Sérgio Sá Leitão, que representou o Governador João Doria, ressaltou a importância da obra e reforçou a parceria do Estado para projetos e ações futuras. “Temos aqui um trabalho magnífico de restauro de patrimônio histórico e essa é uma das atribuições, inclusive constitucionais do poder público, na área da cultura, que é justamente preservar, valorizar e promover o uso sustentável do patrimônio histórico e cultural do povo brasileiro. Nós estamos muito orgulhosos de termos contribuído com a realização deste trabalho de restauro e a viabilização dessas exposições, com recursos do Governo do Estado de SP, e contem com parcerias das instituições culturais do Estado para que vocês aqui tenham sempre, exposições relevantes, importantes, atraentes e interessantes como essas”, destacou.

A Estação Ferroviária de Olímpia, que era pertencente à antiga FEPASA, funcionou até o ano de 1968, com trens e vagões em operação, e foi desativada com o surgimento das rodovias. Dos anos de 1920 até final da década de 1960, a Locomotiva transportou em grande parte o café, que ajudou Olímpia a se desenvolver. O local ficou cerca de 15 anos sem uso e, em 2019, começou a passar por obras para a reativação como um centro cultural, com salas administrativas, sala receptiva, atividades para crianças, espaço para apresentações culturais, sala para exposições, entre outros, com destaque também para a conhecida “Maria Fumaça”, locomotiva que foi restaurada e realocada na nova estação.

O palco da cerimônia contou também com a presença do deputado federal, Geninho Zuliani, do presidente da Câmara, José Roberto Pimenta (Zé Kokão), dos secretários municipais envolvidos no projeto, Priscila Foresti (Turismo e Cultura) e Leandro Gallina (Obras) e do curador das exposições, Marcus Lontra. Prestigiaram o ato ainda vereadores e secretários municipais, equipe de montagem das mostras, artistas plásticos e autoridades convidadas, imprensa e sociedade civil.