Um Festival que chama a atenção do Brasil e do mundo. Assim pode ser considerado o Festival Internacional de Teatro de São José do Rio Preto – FIT – que acontece de 6 a 15 de julho deste ano e promove o encontro entre atores, diretores, produtores, técnicos, críticos e público.

Foram recebidos 782 projetos, vindos de 13 países diferentes; do Brasil, 17 Estados mostraram interesse em compor a programação da 17ª edição do Festival.

A curadoria é composta por membros que representam as instituições organizadoras do Festival. O grupo é formado por Adriana Souza, assistente técnica da Gerência de Ação Cultural do Sesc São Paulo, Graziela Nunes, coordenadora de programação do Sesc Rio Preto e Jorge Vermelho, assessor da Secretaria Municipal de Cultura de Rio Preto.

A divulgação da programação completa deverá ocorrer no início do mês de junho e deverá incluir além dos espetáculos internacionais e nacionais para o público adulto, espetáculos de rua e para as crianças, além das atividades formativas.

Com o objetivo de valorizar a produção de teatro desenvolvida na cidade, nesta edição o FIT ampliou os formatos de participação para os projetos locais, e criou territórios propícios à investigação que foram divididos em três módulos. Os grupos puderam optar por inscrever: obras prontas para apresentação de espetáculos (módulo A); processos abertos à provocação, que caracterizam-se como espetáculos em processo de criação e que receberão um artista convidado para contribuir com reflexões críticas e exercícios da prática teatral (módulo B) e, por fim, a abertura de novos processos,  que reúnem propostas embrionárias e que estejam abertas a experimentações com a contribuição de um profissional das artes cênicas, em formato de residência artística (módulo C). Os grupos locais inscreveram 33 trabalhos nos três módulos e, para selecionar os trabalhos para esta edição, uma comissão de seleção específica foi formada e é composta por Grace Passô, atriz, diretora e dramaturga, Paulo Faria, criador da Cia Pessoal do Faroeste e Jesser de Souza, diretor, clown, professor e ator-pesquisador do Lume Teatro.

Breve histórico

Estabelecido no respeito à diversidade e às subjetividades do teatro, o FIT pensa o fazer teatral contemporâneo desde 2001. Nascido Festival Nacional de Teatro Amador em 1969, o Festival expandiu suas fronteiras e assumiu a dimensão internacional em 2001, a partir de uma parceria entre Prefeitura Municipal de Rio Preto e Sesc São Paulo.

A internacionalização do Festival de Teatro de São José do Rio Preto elevou o evento e a cidade a outro patamar em relação ao aceso às artes cênicas, consolidando Rio Preto como um importante espaço de discussão e reflexão acerca da teatralidade contemporânea.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here