“A Frente de Trabalho é um programa acima de tudo social. A pessoa pode atuar dentro do próprio município. A bolsa ajuda na parte econômica, mas também levanta a autoestima. Com a automação, as novas tecnologias, o emprego está diminuindo. Por isso é necessário se qualificar, se capacitar, para competir com mais confiança. Costumo falar para os selecionados participarem com muito carinho e otimismo, porque tem sempre uma janela aberta para o futuro, já que muitos empreendedores, empresários, estão de olho na dedicação e presteza. Quem sabe amanhã não aparece um emprego fixo garantido?”

A fala é um resumo da participação do secretário-adjunto do Emprego e Relações do Trabalho, Eufrozino Pereira, na implantação do programa na cidade Severínia na semana passada (20 de abril). 


O evento contou também com a presença de autoridades locais,(Prefeito Municipal Celso da Usina,dos vereadores Jorge Salomão,Marcia Moreira,Cassio Joventino e Edivaldo da Ceifa),também estavam presentes os secretários da agricultura Edimilson Pavani do Esporte Paulo Abbra e da Assistência Social Izabel Somer do diretor da SERT Enilson Roberto da Silva (região de Barretos), do supervisor estadual da Frente, José da Paz.

Estiveram presentes também alguns empresários do município,autoridades de cidades vizinhas,e também a coordenadora do IES Adriana Helena Crepadli Velho.Criada pela Lei Estadual 10.321 de 8 de junho de 1999 e regulamentada pelos Decretos 44.034/99, 44.731/00, 47.765/03 e 49.017/04, a Frente tem como objetivo oferecer ocupação, qualificação profissional e renda para cidadãos que estão desempregados há pelo menos um ano e em situação de alta vulnerabilidade social. Isso é feito por meio de atividades em serviços gerais, conservação e manutenção de órgãos públicos estaduais e municipais.

Podem participar maiores de 17 anos e residentes há pelo menos dois anos no Estado. O bolsista desenvolve suas atividades por até nove meses, com jornada de seis horas diárias, quatro dias por semana, sendo o quinto dia destinado a um curso de qualificação profissional ou alfabetização. Os inscritos passam por avaliação socioeconômica para ingresso.

O beneficiado recebe, mensalmente, bolsa-auxílio de R$ 300 (incluído o cartão-alimentação), seguro de acidentes pessoais e auxílio-deslocamento, quando necessário. Em caso de óbito em função de acidente durante o período de duração do contrato, a família tem direito a seguro de vida. 

São reservadas 3% das vagas para pessoas com deficiência e 2% para atendimento de egressos do sistema penitenciário. A participação na Frente não constitui vínculo empregatício, já que tem caráter assistencial e de formação profissional.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here