Por Ivanaldo Mendonça — Na língua hebraica a palavra Páscoa significa Passagem. A origem desta festa, que remonta ao Antigo Testamento, celebra a passagem da escravidão para a libertação e chegada do povo hebreu à terra prometida, cumprindo-se assim a aliança selada entre Deus e Abraão. Fazendo memória desta vitória o povo, celebrava solenemente a Páscoa, através do sacrifício de cordeiros, cujo sangue, aspergido, purificava e expiava as faltas cometidas.

Para nós cristãos este período da história da salvação, a Antiga Aliança, é um tempo de preparação cujo sentido e significado pleno é alcançado na celebração da Nova Aliança, selada em Cristo que derramando seu sangue na cruz, reconduz a humanidade ao projeto de Deus, concedendo-nos como herança a salvação. O Sacramento do Batismo apaga a mancha do pecado original, tornano-nos novas criaturas, membros da Igreja, discípulos-missionários de Jesus Cristo. Em Sua Paixão-Morte-Ressurreição, Cristo vence o maior inimigo, a morte, abrindo-nos as portas da eternidade e a possiblidade da plena realização humana, em Deus.

Na noite pascal cantamos “Ó morte estás vencida pelo Senhor da Vida!”. A escuridão do sepulcro é vencida pela luz, pela força da vida e do amor. O Senhor Ressuscitou! Não é um fantasma! Não é outro! É Ele mesmo! O Domingo, dia da Ressurreição, Dia do Senhor, torna-se referência para a celebração da Nova Aliança, a Páscoa de todas as semanas, dia especial de encontro com Deus e os irmãos.

Assim, a Páscoa deixa de ser uma data isolada, uma simples comemoração, abraçada à luz da fé, como experiência continuamente celebrada por aqueles que buscam, em Cristo, sentido para a vida; aqueles que não obstante dificuldades, desafios, problemas previstos e imprevistos, não se deixam abater pelo desânimo, cansaço, medo, lançando-se, confiantes, nos braços do Pai, permitindo-se serem renovados na fé, na esperança e no amor. A Páscoa é experiência de todos os dias, horas, minutos e segundos. Em Cristo, vencemos as forças da morte que continuamente tentam sufocar o “sopro de Deus” que habita em nós.

Todas as vezes que, dentro ou fora de nós, o amor vence o ódio, a reconciliação vence o rancor, a paciência vence a ira, a paz vence a guerra, a partilha vence o egoísmo, a Páscoa torna-se realidade em nossas vidas e na vida do mundo.

Celebrar a Páscoa é renovar o compromisso individual, familiar, comunitário, eclesial (como Igreja) e social de, em Cristo Ressuscitado, sermos sempre pessoas da vida. Celebrando a Páscoa nossa de cada dia, caminhamos, rumo à Páscoa definitiva, quando seremos em Deus plenamente felizes. Nessa fé, nesse sentimento, nesse pensamento, neste compromisso, desejo a você: Feliz e Abençoada Páscoa, todos os dias! Amém!

Ivanaldo Mendonça

Padre, Pós-graduado em Psicologia

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA