Por Ivanaldo Mendonça – A Igreja propõe aos cristãos prepararem-se para celebrar a Páscoa através da quaresma, que consiste num grande retiro espiritual, marcado, sobretudo, pela prática da oração, do jejum, da penitência e da caridade, expressão de conversão e mudança de vida, que aproxima-nos da vontade de Deus.

A oração aprofunda a relação com Deus; o jejum educa a controlar os instintos, restaurando o equilíbrio; a caridade concretiza o amor aos irmãos, sobretudo, aos mais necessitados; a penitência é o esforço pela reparação dos pecados cometidos.

O percurso proposto pela quaresma e que terá desfecho na celebração pascal, festa da ressurreição do Senhor, tem como referência e modelo o próprio Jesus que, amorosamente, entrega sua vida pela salvação da humanidade. Assumir e perseverar neste propósito exige adesão livre, consciente e responsável, uma vez que mobiliza e gera impacto sobre todas as dimensões da vida, da pessoal à social.

A cada semana, a quaresma nos apresenta um desafio. O primeiro deles, resistir á tentação, ilustrado no Evangelho de Mateus (Mt 4,1-11). O Espírito Santo conduz Jesus ao deserto; passados quarenta dias em oração e jejum, sentindo fome, é tentado pelo diabo, que lhe oferece ‘poder’, ‘prazer’ e ‘ter’. Evidencie-se: a tentação não é o pecado. Tentação é a investida do mal para levar-nos ao pecado, á queda, distanciando-nos do coração de Deus, de nós mesmo e dos irmãos.

Atenção aos caminhos dos quais o mal se serve para nos tentar. Ele sempre se aproxima quando estamos frágeis ou em condição de fraqueza. As forças do mal tentam ocupar espaço em nós através das brechas abertas e deixadas por nossa história de vida. O mal, prometendo-nos o impossível, move-nos a soberba e, privando-nos de tudo, move-nos á mágoa, a raiva e ao ódio.

Como resistir á tentação? Jesus ensina: estejamos sempre na presença de Deus; deixemo-nos conduzir pela força do Espírito Santo. A oração é o combustível da fé. Rezar sozinho, rezar em família, rezar em comunidade fortalece-nos na caminhada. Cultivar intimidade com a Palavra de Deus nos dá condições para reagir, sabiamente, as investidas do mal. A autoconsciência concede-nos clareza sobre as brechas através dos quais o mal nos tenta invadi, e forçar para buscar cura e libertação.

Em meio aos desertos da vida seremos, amparados e guiados pela graça de Deus, resistiremos a toda e qualquer tentação. Relata o evangelho: ‘O diabo afastou-se de Jesus para tentá-Lo em outra ocasião’. Sempre atentos! Nossa vida consiste num constante combate e, para combater, é preciso estar em forma.

Rezemos nessa intenção!

Caminhemos rumo à Páscoa!

Ivanaldo Mendonça

Padre, Pós-graduado em Psicologia

[email protected]

COMPARTILHE
Artigo anteriorFundo Social arrecada 5 toneladas de alimentos no show de Maria Cecília e Rodolfo 
Próximo artigoSeverínia irá qualificar 40 pessoas em programa emergencial do Auxílio Desemprego

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA