O PIX se tornou um dos meios de pagamento mais utilizados em todo o Brasil. No entanto, com a popularidade também aumentaram os riscos de golpes e fraudes no sistema de pagamento instantâneo.

Para evitar problemas, o Banco Central (BC) anunciou nesta sexta-feira (27) que o método terá um limite de até R$ 1 mil para transferências noturnas, entre às 20h e às 6h. A medida também valerá para transferências bancárias entre o mesmo banco, cartões de débito e liquidação de TEDs.

“Os mecanismos de segurança presentes no PIX e nos demais meios de pagamento não são capazes de eliminar por completo a exposição de seus usuários a riscos, mas com o trabalho conjunto do Banco Central, das instituições reguladas, das forças de segurança pública e dos próprios usuários, será possível mitigar ainda mais a ocorrência de perdas”, disse o BC em nota.

Para evitar fraudes, PIX terá limite no valor das transferências noturnas. Crédito: Jo Galvao/Shutterstock

O Banco Central também informou que os bancos terão um limite mínimo de 24h e máximo de 48h para efetivar um pedido de alteração no limite de transações. O intuito é evitar que usuários solicitem e consigam o aumento de limite imediato, o que pode aumentar o risco.

Com isso, o BC também determina que as instituições financeiras ofereçam a possibilidade para que os clientes alterem os limites de transações para diferentes períodos do dia. Outra medida é a possibilidade de ter contas exclusivas que são autorizadas a receber transferências acima dos valores limite.

O cadastro das contas exclusivas pode ser muito útil para pessoas que tenham mais de uma conta e precisam realizar transações entre elas, o que pode ocorrer em horários fora do convencional.

Outras medidas de segurança

Em possíveis transações fraudes, o PIX poderá perder o quesito instantâneo. O BC anunciou que os bancos poderão reter transferências suspeitas durante um período de 30 minutos durante o dia e 60 minutos durante a noite.

Além disso, contas que tenham indícios de fraudes devem ser reportadas pelas instituições financeiras ao Diretório de Identificadores de Contas Transacionais (DICT). Com isso, outros bancos poderão consultar a lista e evitar outros golpes.

Transações suspeitas também devem ser obrigatoriamente reportadas as autoridades de segurança pública.

Fonte: Olhar Digital

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here