A Associação Comercial e Industrial de Olímpia (ACIO) e o Sindicato do Comércio Varejista de Barretos e Região (Sincomercio) divulgou no início da tarde desta quinta-feira (13), a Convenção Coletiva de Trabalho, assinada no último dia 17, válida para o triênio 2015/17. Participaram da reunião, transmitida em sua íntegra e com exclusividade pelo Diário de Olímpia (veja abaixo), o presidente da ACIO Flávio Vedovato Arantes, e o presidente do Sincomércio, Roberto Arutim, que é também Coordenador Estadual da Federação do Comércio.

Entre as mudanças, menos feriados e mais trabalho (remunerado, obviamente). “Mas, há controvérsias”, destacou Arutim, ao abrir a justificava da Convenção Coletiva. Um detalhe: ela somente foi aprovada ‘mais rapidamente’ porque, apesar de estar sendo discutida desde 2015, Olímpia tornou-se Estância Turística, e assim precisava urgentemente ter a sua Convenção estabelecida.

acioesincomercio

Tanto Flávio Vedovato quanto Roberto Arutim explicaram, justificaram, comentaram a Convenção aprovada, e fizeram críticas severas aos empresários e comerciantes que não fizeram ‘a ficha cair’ da nova realidade econômico-turística de Olímpia. “Tem muita gente que está precisando de uma reciclagem urgente, embora tenha uma turma nova que está acompanhando muito bem, principalmente os de serviços”, disse Roberto.

O presidente da ACIO queixou-se de segmentos que, apesar de todas as ações, missões, convênios e cursos que a entidade vem promovendo, ainda não acompanham a nova mentalidade da economia.

Quanto à queixa de que o comércio não abre mais tarde, fechando mais tarde, também, para atender o turista e mesmo olimpienses que precisam do comércio em horário estendido, tanto Flávio quanto Roberto deixaram claro que não será as entidades de classe que regulamentarão esse horário estendido. “Basta ele cumprir a CLT (Consolidação das Leis de Trabalho), não basta seguir a Convenção, ele pode flexibilizar horários, turnos, desde que cumpra as remunerações, horas extras etc, e a Convenção ainda contempla os horários especiais, sem que ele pague a mais por isso”, disse Flávio.

Roberto Arutim mandou uma mensagem, desta vez mais enérgica: “Não tolero terrorismo, acabou o terrorismo em Olímpia. Já sofri muito aqui por causa disso. Mesmo com sentença em mãos, o empresário não acreditar no que estamos falando, esse empresário, então, deve, porque quem está correto aceita. Quem é que segura o emprego? O empresário. Se há terrorismo, quem perde? O trabalhador. Vamos perder a galinha dos ovos de ouro. Ele está sem funcionário sem registro? Por que está com medo? Para Olímpia, é vida nova: basta de terrorismo”.

Quer saber, em detalhes, do que se trata a nova Convenção Coletiva de Trabalho para Olímpia? O que disseram as lideranças patronais? Confira na live abaixo. E a íntegra da Convenção está abaixo, em PDF, para consultar e baixar:

LIVE DO DIÁRIO

A ÍNTEGRA DA CONVENÇÃO DE TRABALHO

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA