CBN – O delegado de Olímpia, Evandro Nacle, mandou prender as seis pessoas que se envolveram em troca de tiros motivada pela cobrança de uma dívida.

Três homens estão internados sob escolta policial. Outros três já estão presos e serão submetidos a audiência de custódia marcada para as 13h desta quarta-feira.

Na manhã de ontem, 11, o sargento reformado Márcio Macri e o ex-soldado Leandro Ribas foram até a cidade cobrar uma dívida de mais de 300 mil reais do corretor de imóveis Eurípedes Augusto.

Este, que já havia registrado boletim de ocorrência relatando ameaças contra si e sua família, chamou três homens armados para fazer sua proteção.

Quando os dois PM’s chegaram no imóvel de Eurípedes houve troca de tiros.

O ex-soldado Ribas foi baleado na cabeça. O sargento Macri escapou ileso e conseguiu disparar contra três pessoas: o corretor, que sofreu fratura exposta no braço e dois dos homens contratados por ele, Laércio Marques, ferido no tórax e no rosto e Paulo Sérgio Vieira, atingido no ombro. O terceiro homem não se feriu.

Três pessoas foram apresentadas na delegacia: o sargento, e dois homens contratados pelo corretor: o que não se feriu e o que foi atingido no ombro, já que foi medicado e liberado.

O delegado avaliou imagens captadas por câmeras de segurança e não ficou convencido da tese de legítima defesa adotada pelo sargento Macri.

Em sociedade, os policiais militares – um reformado e outro expulso da corporação – abriram uma firma de cobrança.

Nesta terça eles estavam a serviço do advogado Antônio Laraia, pra quem o corretor Eurípedes deve R$ 317 mil reais em honorários advocatícios.

Em entrevista ao jornalista Leonardo Concon, o advogado apresentou um contrato assinado pelos dois cobradores e disse que está a disposição da Polícia Civil para prestar qualquer esclarecimento sobre a contratação do serviço.

QUADRO DE SAÚDE

Márcio Aparecido Macri, de 51 anos, residente na cidade de Mirassol, permanece na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) sob observação. O paciente deu entrada no pronto atendimento às 19h08 com fortes dores torácicas. Após fazer exames e receber medicamentos, o paciente deve receber alta às 11 horas para participar de uma audiência e está sob escolta policial na UPA. O quadro de Saúde é estável.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here