A equipe do 1° sargento PM Otoniel, com os cabos Carlos e Diego, conseguiram flagrar dois irmãos que, confessadamente, traficavam drogas em Severínia. A ação ocorreu por volta das 10h desta quarta-feira (20), no bairro Camacho III, naquela cidade. Ainda, como desdobramento, foi delatado pelos irmãos um fornecedor que, ao ser detido, negou e depois conseguiu ser liberado, devendo responder em liberdade.

E, um fato inusitado: quando os policiais militares conduziam os irmãos para o plantão policial, uma nova ocorrência, desta vez de porte de entorpecente. O sujeito foi levado, também, ao plantão, mas foi liberado e e responderá em liberdade.

Através de denúncia anônima, recebida no 190 pelo cabo Wilson, foi informado que pela rua Carmensita Lujam Scatolim, bairro Camacho III, estaria ocorrendo tráfico de drogas através de dois irmãos que ali residem e que havia drogas escondidas em um pasto próximo à residência.

A equipe se deslocou até o endereço informado e, no portal frontal, um dos irmãos, Leonardo Henrique Bassi Nunes, 18, ao avistar a viatura correu para os fundos da casa, porém outros PMs o aguardavam, antevendo essa atitude. Ele foi abordado, detido e revistado, e nada de ilícito foi encontrado com ele. Mas, devido à atitude suspeita, e à denúncia anônima, os PMs adentraram à casa, onde surpreenderam o irmão, Guilherme Augusto Bassi Nunes, 18, dormindo no sofá da sala. Foi feita uma varredura pelo imóvel sendo que, no quarto dos irmãos, foi encontrado dentro do guarda-roupa, no meio de algumas peças, um cigarro de papel com maconha.

Ainda no interior do guarda-roupa, os policiais encontraram, dentro de um copo de isopor com o distintivo do Corinthians, 21 pinos de cocaína, além de R$ 36 em espécie. Daí, os irmãos confessaram que vendiam os pinos por R$ 20 cada e que as recebe de Nenê Ozanick para revendê-las.

Os PMs foram, então, à residência de Carlos Roberto Ozanick Júnior, 31, também no bairro Camacho III. Ele estava em seu estabelecimento comercial, que é ao lado de sua casa, sendo abordado, revistado e nada de ilícito foi encontrado em seu poder, mas em seu veículo foi encontrada uma porção de maconha de R$ 117 em espécie. Ele negou ser traficante e que a droga seria para uso próprio.

Diante dos fatos, a equipe policial dirigiu-se a um terreno baldio nas proximidades da casa dos irmãos Leonardo e Guilherme, onde a denúncia ao 190 informava ter mais drogas escondidas, mas foi encontrado, debaixo de uma carroceira de carreta de cana de açúcar um invólucro contendo vários pinos de cocaína.

Assim, os irmãos receberam voz de prisão, assim como Nenê Ozanick. No plantão policial, o delegado Marcelo Pupo de Paula ratificou a voz de prisão aos irmãos Guilherme e Leonardo pelo crime de tráfico de entorpecente e associação ao tráfico, onde permaneceram à disposição da Justiça na Cadeia local, e elaborou um BOTC de porte de entorpecentes para Carlos Nenê Ozanick, devolvendo-lhe o dinheiro, mas apreendendo a droga, devendo responder em liberdade.

E, NO MEIO DA OCORRÊNCIA…

Enquanto os PMs conduziam os envolvidos na ocorrência anterior para o plantão policial, avistaram um indivíduo em atitude suspeita nas proximidades do endereço dos irmãos, e este também constava da denúncia ao 190 anterior.

Edmilson dos Santos, 18, também morador do Camacho III, tentou fugir, mas foi alcançado, abordado, revistado.

Com ele, os PMs encontraram um dichavador (desfiador de fumo e ervas) e dentro do objeto uma porção de maconha (nove gramas).

Ele foi conduzido ao plantão, com o dichavador e a porção de maconha, mas foi liberado, devendo responder em liberdade, após a elaboração de um BOTC de porte.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here