Embora Olímpia não registre mortes em decorrência de doenças virais há mais de um mês, a Saúde assegura que continua monitorando o quadro epidemiológico para adoção das medidas necessárias. Apesar do aumento de casos positivos de Covid-19, desde o início do ano em todo o país, 98% dos positivados em Olímpia não precisaram de internação.

Com o descredenciamento dos últimos cinco leitos UTI Covid-19 pelo governo federal da Santa Casa de Misericórdia de Olímpia (no auge da pandemia chegou a 20 leitos), e diante da nova onda de positivos, o prefeito Fernando Cunha anunciou na manhã desta quinta-feira (13), que a Prefeitura irá custear 16 leitos destinados à Covid-19.

A decisão foi tomada em conjunto com o provedor da Santa Casa de Misericórdia, Luiz Alberto Zaccarelli, como uma ação preventiva, tendo em vista que o hospital é o único para atender toda a microrregião.

Além de descredenciar a Santa Casa, o governo federal quer a devolução de R$ 240 mil pagos em novembro (e já utilizados pelo hospital), e ainda não pagará dezembro, um recurso aguardado para demais compromissos. Na oportunidade, o provedor Luiz Alberto classificou o ato como ‘calote’ e prometeu entrar na Justiça contra isso.

O prefeito Fernando e a Saúde acreditam que a eficácia da vacinação, que já atinge quase 90% da população total com esquema vacinal completo, contribua para que os casos positivos não evoluam na mesma velocidade de antes para internação UTI. Além disso, cerca de 15 mil olimpienses já receberam a dose de reforço.

A imunização está disponível na Avenida dos Olimpienses (ao lado da UPA), de segunda a sexta, das 8h às 16h.

O quadro de profissionais da UPA e o estoque de medicamentos também têm sido reforçados para atender a demanda, assinala o prefeito.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here