A 54ª edição do Festival do Folclore da Estância Turística de Olímpia terá o 4º Simpósio de Estudos Etnomusicológicos. O evento, que em edições anteriores era realizado no Recinto, este ano, passará para a Casa da Cultura, nos dias 7 e 8 de agosto, das 8 horas ao meio dia. 

A organização é da Associação Olimpiense de Defesa do Folclore do Brasileiro (AODFB), em parceria com o Instituto de Artes da Unicamp e da Universidade Estadual de Goiás (UEG). 

Com a coordenação do músico e pesquisador olimpiense Estêvão Amaro dos Reis, o 4º Simpósio de Estudos Etnomusicológicos de Olímpia ocorrerará junto à 1ª Rodada Cultural, projeto da divisão de Cultura, que estreia no Fefol deste ano. 

“O Simpósio e a Rodada Cultural terão por objetivo debater o folclore no mundo contemporâneo e propiciar aos participantes a possibilidade de vivenciar as práticas musicais dos grupos folclóricos, retomando assim, uma prática historicamente presente no Fefol desde a sua origem”, explica o músico e pesquisador Estêvão Amaro dos Reis. 

O evento é gratuito e aberto a pesquisadores, professores e estudantes, integrantes dos grupos folclóricos e demais pessoas interessadas nos temas do folclore. 

RODADA CULTURAL

Com o objetivo de fomentar a cultura popular brasileira através da troca de experiências, a secretaria municipal de Cultura, Esportes e Lazer promoverá durante o 54º Festival do Folclore da Estância Turística de Olímpia, a Rodada Cultural. O projeto, que integra pela primeira vez a programação do Fefol, é uma inciativa da divisão de Cultura, sob a coordenação do diretor Charles Amaral. 

Na terça-feira, 7, o encontro contará com a participação do Conjunto Folclórico Internacional “Os Gaúchos”, de Porto Alegre (RS), e o Grupo Cultural Xique Xique, de Maceió (AL). Na quarta-feira, 8, será a vez dos grupos Siriri de Atalaia, de Cuiabá (MT), e Associação Folclórica Paramazon, de Belém do Pará (PA). 

Conforme consta na programação do Festival, a Rodada Cultural será realizada nos dias 7 e 8 de agosto, a partir das 9 horas, na Casa da Cultura. A atividade é aberta ao público e a entrada é franca.

O Simpósio tem apoio da Prefeitura, por meio da secretaria de Cultura, Esportes e Lazer, da Associação Brasileira de Etnomusicologia – ABET e da Fundação Koellreutter. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here