O ministro da Saúde, Nelson Teich, deixou hoje o governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). A saída do ministro acontece menos de um mês após ele substituir Luiz Henrique Mandetta na pasta, e sua saída já vinha sendo cogitada havia alguns dias. Uma entrevista coletiva está marcada para esta tarde no ministério para esclarecer a exoneração.

Às 12h, uma nota divulgada pela assessoria de imprensa do ministério informava que Teich pediu demissão. 12 minutos antes, porém, um membro da pasta tinha informado que o oncologista foi demitido em uma reunião de última hora com Bolsonaro para a qual foi convocado nesta manhã.

Geninho Zuliani

O deputado federal Geninho Zuliani, de Olímpia, lamentou:

“Lamento as turbulências que estão ocorrendo no Ministério da Saúde. O pedido de demissão de Nelson Teich demonstra, em princípio, seu comprometimento com valores que estão acima da mera ocupação de um cargo político. O ex-Ministro Teich não se sujeitou à guerra de narrativas ou mesmo a imputação de como deveria agir, em desacordo com os princípios vetores da gestão pública, sempre obedecendo a ciência e não a caprichos dos chamados “Donos do Poder”.

E, acrescenta: “A função do Ministério da Saúde é oferecer condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde da população. A pasta é de extrema importância nesse combate a pandemia do novo Coronavírus. Apenas poderá ocupar este posto quem estiver disposto cumprir tais objetivos, combatendo o despotismo, a ignorância, os preconceitos e os erros”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here