Incluir empresas do segmento de turismo, um dos mais afetados com a crise política vigente, e proporcionar a essas empresas linhas de crédito especiais para pagamento de salários dos funcionários durante a pandemia de Covid-19, é um dos objetivos da revisão da Medida Provisória, 975, que está em reformulação pelo Congresso Nacional.
Com apoio dos deputados Geninho Zuliani e Efraim Filho, atual relator do projeto da MP, a legislação está sendo revista de forma que seja possível a inserção de parte da cadeia turística e não apenas empresas que faturaram entre R$ 360 mil e R$ 300 milhões no último ano.
“A MP 975/20 destina R$ 20 bilhões para o Fundo Garantidor para Investimentos do BNDES, que, por sua vez, garante as operações de empréstimo, mas é preciso regras menos rídigas e menos burocracia, pois do total à disposição até o momento, apenas 10% foi utilizado”, afirma Geninho.
Participaram representantes da Brasil Resorts, Fohb (Forum de Operadoras de Hotéis Brasileiros), Abih (Associação Brasileira de Hotéis), FBHA (Federação Nacional de Hotéis e Restaurantes), Sindepat (Sistema Integrado de Parques e Atrações Turísticas), Adibra (Associação dos Parques Temáticos Brasileiros), Unedestinos (Associação Nacional dos Conventions & Visitors Bureaux).
Segundo previsão da Organização das Nações Unidas (ONU), as perdas no segmento de turismo variam de US$ 1,2 trilhão a US$ 3,3 trilhões, o que equivale a 1,5% do PIB global.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here