Após crise agravada com a regressão da região de Barretos para a Fase Laranja do Plano de São Paulo, com fechamento de parques temáticos e comércios em parte do interior paulista, o prefeito de Barretos, Guilherme Ávila, tentou se aproveitar da crise após participar de reunião em São Paulo, com outros prefeitos da região. É o que se compreende quando o Diário buscou ouvir diversas lideranças locais e regionais acerca dos últimos acontecimentos.

“É um absurdo. Em Barretos falta gestão e coerência nas decisões do prefeito e isso prejudicou toda a nossa região. E ainda, depois da reunião o Ávila tentou sair como ‘articulador político’ ligado ao Doria”, disse um prefeito da região que pediu para não ser identificado. “É uma vergonha. Barretos é única região laranja do mapa do Estado de São Paulo”, disse ao Diário.

Para essas fontes, o alto índice de ocupação de leitos de UTI foi um dos motivos da regressão da região de Barretos para a Fase Laranja do Plano São Paulo. De cada dez leitos disponíveis no município, seis estavam ocupados com pacientes com coronavírus na quinzena da avaliação realizada pelo Comitê.

Nesta terça-feira (13), o secretário da Saúde do Estado de São Paulo, Jean Gorinchteyn e Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, receberam grupo de prefeitos da região de Barretos que levaram um pedido de reavaliação da região dentro do Plano São Paulo, conforme o Diário publicou em primeira mão.

“Essa avaliação prejudicou as 18 cidades da DRS-V entre elas Bebedouro, Colina, Guaíra, Guaraci, Jaborandi, Monte Azul Paulista, Olímpia, Severínia, Taiúva, Taquaral e Viradouro. Barretos precisa melhorar a gestão para não prejudicar as demais cidades” disse um dos prefeitos ouvidos pela nossa reportagem.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here