O governador João Doria anunciou, nesta quarta-feira (29), o investimento de R$ 1,1 bilhão para construir 10,5 mil unidades habitacionais em 87 municípios do Estado nas três modalidades do programa Nossa Casa: CDHU, preço e apoio. Entre os municípios contemplados está Guaraci, na Comarca de Olímpia, com 225 unidades, como já divulgamos.

Renato acompanha as obras das 225 unidades em Guaraci

O prefeito Renato Azeda já havia conquistado essas mesmas 225 casas da CDHU em gestão anterior (2016) e que ficaram paradas desde então. “No fim do nosso mandato em 2016 conseguimos 225 casas da CDHU. As pessoas ficaram quatro anos esperando e nada foi resolvido”, disse Renato. “Este é um dos meus compromissos e no fim da semana, tivemos a felicidade de nos reunirmos com a diretoria da CDHU para iniciarmos as construções das casas. Estou muito feliz com mais esse passo no desenvolvimento de Guaraci. Seguimos trabalhando muito, em busca sempre do melhor”, acrescentou o prefeito de Guaraci.

No final da tarde de hoje, o prefeito Renato Azeda agradeceu também o empenho do deputado federal Arnaldo Jardim nessa conquista:

NOSSA CASA – CDHU

Pela modalidade “Nossa Casa-CDHU” serão 6.964 unidades em 80 conjuntos habitacionais, sendo 76 empreendimentos de casas e quatro de apartamentos, inclusive Guaraci.

No mapa, Guaraci com 225 unidades da CDHU

As casas serão construídas em duas etapas pela CDHU em parceria com os municípios que doaram os terrenos. Na primeira etapa, será realizada a urbanização dos lotes com pavimentação e implantação de redes de água e esgoto, iluminação entre outros itens. Na etapa seguinte, ocorre o início das obras. Já as unidades em apartamentos serão construídas por meio de licitação única.

Por esta modalidade, os imóveis contam com dois dormitórios, sala, cozinha, banheiro e área de serviço. O financiamento dos imóveis segue os critérios da CDHU e as novas diretrizes da Política Habitacional do Estado, que preveem juros zero para famílias com renda mensal de até cinco salários mínimos. Assim, os mutuários pagam praticamente o mesmo valor ao longo dos trinta anos de contrato, que sofre apenas a correção monetária anual calculada pelo IPCA, o índice oficial do IBGE.

NOSSA CASA – PREÇO SOCIAL

Outras 2.566 unidades serão construídas pela modalidade “Nossa Casa-Preço Social”, em que as prefeituras fazem a oferta dos terrenos e, por meio de licitação pública, é definida a empresa privada responsável por desenvolver o empreendimento. Parte das unidades habitacionais é destinada a preço social, ou seja, com valor bem reduzido em relação ao preço normal, para famílias de baixa renda, com cotas específicas para residentes em áreas de risco e famílias que recebem auxílio aluguel municipal. O restante das unidades habitacionais é comercializado pela empresa a preço de mercado.

Os imóveis contam com dois dormitórios com 45 m² de área útil (casas) e 40 m² (apartamentos). Os valores dos imóveis a preço social são fixados conforme critério populacional: R$ 120 mil para cidades das regiões metropolitanas; R$ 110 mil nas cidades acima de 250 mil habitantes e R$ 100 mil nas abaixo de 250 mil habitantes.

NOSSA CASA – APOIO

As 989 unidades restantes serão pela modalidade Nossa Casa- Apoio, com a entrega de cheque moradia às famílias com renda mensal de até três salários mínimos, como subsídio para efetivarem a compra do imóvel, junto às construtoras. Esse subsídio é usado para abater o valor final na assinatura do contrato de financiamento habitacional e o comprador pode contar ainda com subsídios federais e utilizar o FGTS no financiamento habitacional, quando disponível. Desta forma, o valor das prestações fica compatível com a capacidade de pagamento das famílias.

Esta modalidade é aberta a qualquer pessoa, desde que seja aprovada pela Caixa Econômica Federal, que concederá o financiamento habitacional das moradias.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here