Por Ivanaldo Mendonça — O início de um novo ano traz consigo a força necessária a que o ser humano recobre e intensifique a capacidade de recomeçar. A abertura de um novo ciclo reacende sonhos, esperanças e, sobretudo, o propósito de ser e fazer diferente e melhor, assim como congrega a família humana num único e grande desejo: a paz! Não por acaso primeiro de janeiro é nominado dia da confraternização universal, dia mundial da paz.

A Igreja celebra no primeiro dia do novo ano a solenidade de Santa Maria Mãe de Deus. No contexto do tempo litúrgico do Natal, a celebração ressalta o dom da maternidade de Maria. Nominá-la ‘Mãe de Deus’ embora soe estranho a muitos, uma vez que Deus é criador não criado, adquire sentido e significado, tanto pela fé quanto pela lógica. Uma vez que Deus elege o ventre de Maria para acolher Seu Filho Jesus, feito homem para nos salvar, não existe contradição em atribuir-lhe o título Mãe de Deus, claro, no sentido geracional e não criacional.

É profunda a relação entre a solenidade mariana e o dia mundial da paz. A figura de Maria remete-nos a Jesus definido pelas Sagradas Escrituras como ‘príncipe da paz’. Maria é apresentada como modelo a todo aquele que acolhe Jesus e permite que Ele ocupe o centro de suas vidas, que Ele seja o seu Senhor. Não obstante os relatos bíblicos do nascimento de Jesus apresentem Maria como quem ‘guardava todas as coisas no coração’, tal atitude não é sinônimo de passividade, pelo contrário, é própria de quem possui intimidade  e sintonia com o Criador.

Maria, mulher da Paz, inspira-nos, não apenas a iniciar um novo ciclo, mas, sobretudo, a perseverar nos bons propósitos, o que confere sentido e valor á existência humana. Destacamos cinco atitudes de Maria, que, certamente, fazem a diferença, cada dia e todos os dias do ano que nasce:

  1. Abertura: disponibilidade ao novo é o primeiro e fundamental passo no processo de recomeço;
  2. Escuta: escutar, atentamente, favorece o diálogo sincero e verdadeiro;
  3. Acolhida: aceitar o outro como ele é, acolher as diferenças como benção, não como ameaça;
  4. Disponibilidade: compartilhar, gratuitamente, o amor, como dom de Deus e de pessoas livres;
  5. Testemunho: deixar transparecer a coerência entre o pensar, falar e agir, dom que contagia a todos;

Maria encontra em Jesus a sede da Paz. Esta profunda experiência dispensa palavras, explicações e justificativas. O silêncio fala, tocando profundamente os corações. O nome Jesus significa ‘Deus salva’. Nele encontramos a fonte de toda benção! Nada mais é necessário; por Cristo, em Cristo, com Cristo tudo se completa. O que te desejo para 2019? Jesus!

Ivanaldo Mendonça

Padre, Pós-graduado em Psicologia

[email protected]

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA