Por Caia Piton — Há quase meio século, meu pai lançava a revista Olímpia, Querida Olímpia. Tempos idos em que imperava a esperança de dias melhores e de um norte promissor para uma comunidade, até então, basicamente rural, ensaiando os primeiros passos na indústria que viria a florescer, porém, não como o carro-chefe da cidade.

Naquela época, turismo e a transformação da cidade em Estância, não eram alvos de cogitação.

Sempre quis editar o numero ‘dois’ da revista, que, infelizmente parou na primeira edição anual, já que, em 1.972, aos 33 anos, seu editor deixou-nos prematuramente, e com ele muitos sonhos se foram.

Casal Piton, empreendedores da primeira edição de “Olímpia, Querida Olímpia”

Há anos troco ideia com Leonardo Concon e Claudia Lacerda, sobre a edição do numero 2 da revista, porém, convenço-me a cada dia mais, que o protagonismo dela, até hoje refletido em posts do Dr. Dirceu Renato Sachetim e outros que viveram aquela época, e tiveram nela registrada parte de sua história, merece uma edição viva e dinâmica, que transforme-se num canal, aonde, interagindo, possamos criar artigos semanais ou até diários que construam a idéia que foi semeada na Revista de 1970.

Vivemos uma cidade nova, um tempo novo, uma vida de fakes, mentiras e desmentidos, mas uma coisa é certa: temos que debater os rumos de nossas estruturas, da vocação turística de nossa cidade, dos destinos das associações que nos trazem divisas e prestam serviços.

A hora é esta. Envie sua sugestão de assunto e começaremos a ponderar juntos, o que achamos do futuro da nossa Olímpia, Querida Olímpia.

  • Caia Piton é advogado e empresário.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here